PUBLICIDADE

Anderson Silva se desafia no boxe e diz não temer arriscar sua história no MMA

Brasileiro volta aos ringues no próximo sábado, quando enfrenta Julio Cesar Chavez Jr em Guadalajara, no México

16 jun 2021 20h14
ver comentários
Publicidade

Depois de anunciar sua aposentadoria do MMA e deixar o UFC em novembro do ano passado, Anderson Silva volta aos ringues no próximo sábado para um novo desafio. O brasileiro se aventura no boxe após 16 anos e vai enfrentar Julio Cesar Chavez Jr em Guadalajara, no México. O evento terá como luta principal o combate entre a lenda Julio Cesar Chávez e Hector Camacho Jr.

O "Spider" reforçou que não precisa nem quer provar nada para ninguém. Ainda sim, deseja se especializar em mais artes marciais e, por isso, pretende lutar em algumas delas e ter mais propriedade para descrever e explicar determinados movimentos do esporte.

Aos 46 anos, o ex-campeão peso-médio conversou com jornalistas nesta quarta-feira e afirmou repetidas vezes que está contente e vivendo um "momento especial". Ele avalia que ao enveredar para o boxe não coloca em risco a vitoriosa história que construiu no MMA.

"Acho que estou tendo a oportunidade de fazer algo especial em minha vida. Eu amo lutar. Não quero provar nada a ninguém. Quero passar uma boa mensagem para as pessoas no mundo de que não é apenas sobre lutar, é sobre o quanto você ama fazer o que faz. É especial o que estou fazendo", disse.

O brasileiro enfatizou que vai lutar porque ama o boxe, não para provar que um esporte é melhor que o outro. "O boxe é um esporte diferente do MMA. As pessoas precisam respeitar o boxe e respeitar o MMA. Eu não estou aqui para representar o MMMA. Estou aqui para representar a minha família e dar o meu melhor", enfatizou.

O momento de Anderson não é bom. O lutador perdeu três lutas seguidas e venceu apenas um duelo entre 2013 e 2020. Na sua despedida do UFC, foi nocauteado por Uriah Hall. No entanto, isso não apaga o fato de o brasileiro ter encerrado sua história com a organização somando vitórias inesquecíveis sobre nomes como Vitor Belfort, Chael Sonnen e Forrest Griffin, além de recordes. Entre os seus principais feitos está o reinado mais longo de todos os campeões da organização - ostentou o título da categoria peso-médio por quase sete anos, entre outubro de 2006 e julho 2013.

Anderson conquistou o título da categoria logo após sua estreia no UFC e o defendeu dez vezes. Não à toa, o veterano é considerado por boa parte da comunidade do MMA um dos maiores nomes da história do esporte. Agora, aos 46 anos, renovado, quer continuar se desafiando e aproveitar o que o esporte lhe oferece.

"Em toda a minha vida eu sempre tentei me desafiar. Eu aceitei todo o tipo de desafios, lutei em vários países com diferentes oponentes. É um momento especial. So quero curtir. Estou muito feliz com o que estou vivendo", observou o lutador, que, naturalmente, teve de se adaptar na preparação para a luta de exibição diante do mexicano. Na nobre arte, ele competiu apenas duas vezes, em 1998 e 2005, com uma vitória e um revés.

"Eu treinei boxe por alguns anos no Brasil. Lutei profissionalmente, claro que não no mesmo nível. Amo boxe e quando comece minha carreira tentei lutar boxe, mas a minha vida mudou e fui para o MMMA. Há diferenças na preparação em relação ao que eu estava acostumado, mas adaptei meu corpo, estou feliz e quero desfrutar", destacou.

Adversário do brasileiro, Julio Cesar Chávez Jr, de 35 anos, é filho do lendário pugilista Julio Cesar Chavez, e iniciou sua carreira no boxe em 2003. Seu cartel inclui 52 vitórias, sendo 34 por nocaute, cinco derrotas, um empate e um no contest (sem resultado).

No Brasil, a luta de Anderson Silva contra o mexicano Júlio Cezar Chávez Jr no evento, intitulado "Tributo aos Reis", terá transmissão exclusiva e ao vivo pela plataforma de vídeos ZoOme.TV. A narração será de Éder Reis e os comentários de Rogério Minotouro e Acelino Popó Freitas, o Popó.

Estadão
Publicidade
Publicidade