0

Líder do Mundial de Surfe, Medina anuncia nova parceria

5 nov 2014
21h09
atualizado em 7/11/2014 às 16h12

O sucesso que Gabriel Medina vem tendo em cima da prancha nesta temporada não se percebe apenas ao olhar para classificação do Campeonato Mundial de Surfe (WCT). Atual líder do ranking mundial, o ótimo desempenho do brasileiro é notado pela quantidade de patrocinadores que o atleta de apenas 20 anos já conseguiu reunir. Nesta quarta-feira, em Maresias, litoral norte de São Paulo, o surfista fez o anúncio de mais uma poderosa marca para a "coleção": a sul-coreana Samsung.

<p>Gabriel Medina durante anúncio de parceria com Samsung</p>
Gabriel Medina durante anúncio de parceria com Samsung
Foto:

A empresa, que também está ligada aos jogadores Paulo Henrique Ganso, Paulinho e Thiago Silva, além do patrocínio à Seleção Brasileira e aos Jogos Olímpicos, aproveitou da proximidade com a Associação de Surfe Profissional (ASP), da qual é patrocinadora global, para estreitar os laços com o melhor surfista brasileiro da atualidade.

"Esse namoro entre a marca e o Medina já acontecia há algum tempo, esse gancho era o que precisávamos e isso nos deu uma força localmente para fechar com um atleta que tem uma exposição muito boa, não só no Brasil, mas mundialmente", afirmou o gerente de marketing esportivo da Samsung Brasil, Cristiano Benassi, em entrevista ao Terra.

Para Benassi, não é um problema o surfe não ter a divulgação que outros esportes já possuem no País. "Não seguimos modalidades, seguimos talentos. O Gabriel não foge disso. Já passou de uma promessa, é uma realidade. Acreditamos muito que, no Brasil, o atleta acaba fazendo a modalidade. O Gabriel tem esse potencial, ele pode trazer e agregar mesmo que não surfa ou não acompanha muito o esporte", completou.

Surfe: Medina mostra confiança por título e elogia Slater

Para Medina, o acordo entre ele e a marca veio a calhar. Como qualquer garoto de sua idade, o atleta vive conectado e abusa das novas tecnologias. "É um prazer fazer parte desse time. Adoro tecnologia e estou sempre conectado quando não estou surfando. Isso ajuda a me manter atualizado sobre notícias do esporte, além de facilitar o contato com minha família e amigos", afirmou o surfista, que hoje vive em São Sebastião, mas, por conta do WCT, roda o mundo durante o ano.

Esse é o décimo contrato de patrocínio de Gabriel Medina, que também conta com o apoio das empresas Rip Curl, Guaraná Antártica, Mitsubishi, Vult Cosmética, Oakley, Pukas, FCS/Gorilaz, Coppertone e Wise Up.

Medina está essa semana em Maresias, onde ficará até 9 de novembro para a disputa da primeira etapa do World Qualifyng Series (WQS), divisão de acesso à elite do esporte. Logo após, o atleta iniciará um forte treinamento para a última etapa do circuito, que será realizada entre 8 e 20 de dezembro, em Pipeline, no Havaí.

O QUE GABRIEL MEDINA PRECISA PARA SER CAMPEÃO

- Se terminar em 25º ou 13º, ou seja, ser eliminado na segunda ou terceira fase no Havaí

- Torcer para Kelly Slater não vencer a etapa, e Mick Fanning não chegar às semifinais; caso Fanning caia nas quartas, os dois farão uma bateria homem a homem para desempatar

- Se terminar em 9º, ou seja, perder na quinta fase

- Torcer para Fanning não chegar à final

- Se ficar em 5º ou 3º, ou seja, cair nas quartas ou na semifinal

- Torcer para Mick Fanning não vencer a etapa
- Se chegar à final, conquista o título, independentemente do resultado de Fanning

*O repórter viajou a convite da Samsung

Correção
Diferentemente do que foi publicado pelo Terra às 21h09 (de Brasília) de 5 de novembro de 2014, a Samsung é uma empresa sul-coreana, e não norte-coreana. A informação foi corrigida às 21h56 do mesmo dia.

Fonte: Terra
publicidade