0

United derruba invencibilidade do Watford e Mourinho respira

Lukaku abre o placar com a barriga e Smalling, em jogada ensaiada, amplia, aliviando a pressão no time

15 set 2018
15h30
atualizado às 15h42
  • separator
  • 0
  • comentários

Cada vez mais, o Manchester United afasta a crise, e José Mourinho respira no comado da equipe. Neste sábado (15), a tarefa não era fácil: vencer o invicto Watford, fora de casa. Lukaku, de barriga, e Smalling marcaram os gols da vitória do United. O time fez uma partida sólida e eficiente, apesar da pressão no fim, e garantiu a terceira vitória na Premier League. Gray descontou para o Watford.

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)
Foto: LANCE!

Panorama pré-jogo: a importância da partida

O Manchester United venceu o Burnley, por 2 a 0, na última rodada da Premier League. A vitória deu uma apaziguada na crise, mas não diminuiu a pressão sobre o técnico José Mourinho. Com duas vitórias e duas derrotas, o técnico travou uma guerra com a imprensa durante a semana, na tentativa de se blindar. A cobrança, porém, não diminuiu. O Watford venceu as quatro primeiras partidas da competição e, junto com Chelsea e Liverpool, era um dos times com 100% de aproveitamento.

De Gea salva

O treinador do Watford, Javi Gracia, chegou nessa temporada e foi amplamente elogiado por seus jogadores. Com novas regras, que inclui o pagamento de 100 libras por minuto de atraso e novos métodos de treino, o espanhol conquistou o elenco. O Watford começou a partida melhor. Jogando com propriedade, quase abriu o placar com Deeney. A tabela funcionou, Fellaini falhou e o capitão chutou com força. O goleiro De Gea fez uma linda defesa, de mão trocada, para evitar o gol.

United cresce

Apesar do Watford se impor jogando em casa, o jogo foi, aos poucos, se equilibrando. O United, com grandes jogadores no elenco, começou a criar boas oportunidades. Lukaku, camisa 9 tradicional, passou a buscar a bola mais na ponta esquerda. Matic articulava bem as bolas, com boas inversões. Alexis Sánchez teve duas boas oportunidades: na primeira, marcou, mas estava impedido. Na segunda, parou nas mãos do goleiro Forster, com uma linda defesa no reflexo.

Lukaku abre o placar de barriga

O equilíbrio da partida foi se esvaindo. O United jogava com mais intensidade, na velocidade de Lingaard, na articulação rápida de Pogba e Matic. A equipe abriu o placar com Lukaku. Oportunista, o atacante belga se posicionou bem na área, se antecipou dos zagueiros do Watford e escorou com a barriga, a là Renato Gaúcho, para abrir o placar.

Amarelou

O Watford já tinha sentido o crescimento do United na partida. Capoue, chamado de Zidane pela torcida dos Hornets, levou cartão amarelo ao parar o contra-ataque puxado por Lingaard. Holebas também foi punido com o amarelo pelo juiz, por reclamação.

Na jogada ensaiada, o segundo gol

 

Instável, o Watfor via o Manchester United cada vez melhor na partida. Em jogada ensaiada, Ashley Young bateu o escanteio aberto, o grandalhão Feillaini escorou de cabeça e Smalling, penetrando na área, dominou no peito e girou bonito, sem chances para Forster. Mérito para Mourinho, que comemorou intensivamente no banco de reservas.

Jogo pega fogo

O Watford voltou para o segundo tempo, menos nervoso e tentou reimprimir o estilo que havia perdido na primeira etapa. Com paciência, os Hornets marcaram e reascendeu a partida. Gray recebeu cruzamento rasteiro de Doucoure e bateu de chapa, na gaveta de De Gea. O Watford incendiava a partida em Vicarege Road.

Watfford pressiona e De Gea salva de novo

Precisando do resultado, o Watford passou a pressionar o United, que aceitou as ofensivas do adversário. A equipe de José Mourinho, porém, não perdeu o equilíbrio do jogo. Soube se defender com eficiência e tentou articular contra-ataques. Já nos acréscimos, Matic levou o segundo cartão amarelo e foi expulso. O Watford ainda teve uma claríssima chance de empatar, mas De Gea fez uma grande defesa, na cabeçada de Kabasele e garantiu a vitória.

Grande jogo

Os Hornets fizeram uma partida melhor no segundo tempo, mas faltou mais qualidade para conseguir o empate, apesar da intensidade. O United respira, não só pela vitória, mas pelo desempenho. O clube demonstrou superioridade e controle da partida: vitória merecida.

*sob a supervisão de Leonardo Martins

Veja também

 

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade