0
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Tite, sobre Neymar: 'Não passamos a mão na cabeça de ninguém'

Em coletiva, o treinador da Seleção Brasileira também comentou sobre a tática da equipe, a demissão de Sylvinho no Lyon e elogiou Sadio Mané, principal destaque de Senegal

9 out 2019
11h08
atualizado às 11h32
  • separator
  • 0
  • comentários

Tite concedeu coletiva, nesta terça-feira e confirmou Neymar e a equipe titular do amistoso contra Senegal, nesta quinta-feira, às 09h. O treinador também comentou as criticas sobre o tratamento dado para o atacante do PSG na Seleção Brasileira. Além disso, comentou sobre a tática da equipe, elogiou Sadio Mané (destaque do Liverpool e de Senegal), avaliou a demissão de Sylvinho no Lyon e falou em novas oportunidades no elenco. Confira os melhores momentos da coletiva do técnico.

Tite concedeu coletiva nesta terçaf(Foto: Pedro Martins / MoWA Press)
Tite concedeu coletiva nesta terçaf(Foto: Pedro Martins / MoWA Press)
Foto: Lance!

EQUIPE TITULAR
Ederson; Daniel Alves, Marquinhos, Tihago Silva e Alex Sandro; Casemiro, Arthur e Philippe Coutinho; Gabriel Jesus, Neymar e Roberto Firmino.

NEYMAR
- As informações que vocês têm não são a realidade que nos temos. Não vou falar publicamente algumas coisas, não tenho esse direito. Temos relação de dizer o que é certo, o que é errado. Respeito quem fala, mas não tem a devida avaliação. Vou fazer o quê? A minha verdade e a minha consciência são maiores. Tenho muita paz comigo mesmo. Não pago preço para ficar bajulando jogador nenhum. Não passamos a mão na cabeça de ninguém. Ninguém se engana. Isso não faço. Faço o que tenho que fazer com Neymar, com Marquinhos, com Gabriel Jesus... não tenho isso.

OPORTUNIDADES
- Futebol é o que se vê e o que se sente. Às vezes tem fora do jogo, o convívio, o treino, mesmo que seja período mais enxuto dessa vez. Mas é a realidade minha e das outras seleções também. Pode entrar um pouco, às vezes dois jogos, ter grau de competitividade. O Everton, por exemplo, iniciou a Copa América como reserva, oscilando, ora jogando ele ora o David Neres.

CASO NEYMAR
- Não pago preço para ficar bajulando jogador nenhum. Isso é a minha educação, não como técnico. Como ser humano. Falei à época da Copa América que a verdade vem à tona, com o tempo. O tempo pode proporcionar (avaliações). Recebi 30 perguntas sobre o que aconteceu com ele, disse para terem calma antes de julgar. Tive que responder com pré-julgamento a respeito dele. Foi horrível de tratar. Deixo o tempo, não julgo ninguém. Mas me incomoda sim (essas críticas), principalmente fazerem julgamento sem informações, sem saber a conduta.

SYLVINHO DEMITIDO NO LYON
- Tem algumas diferenças da Europa, mas nível de pressão no Brasil é muito alto. Não concebo no Brasil que parece que não ganhar um jogo é crime. Proporciona invasão de treino a toda hora. Eu me sinto envergonhado em relação a isso.

MANÉ, O DESTAQUE DE SENEGAL
- Jogador muito móvel, ágil, tem habilidade, tem lance pessoal muito forte. Vimos treinamento do Liverpool lá mesmo. Na beira do campo você vê, sente o treino, quanto ele é ágil, móvel, vertical. Por isso o escolhi como terceiro do mundo. Antes, indiquei o Salah, mas nessa campanha da última temporada ele foi mais efetivo. Meu voto não foi de quem é melhor, mas de quem fez a melhor campanha.

TÁTICA
- Não posso ficar enraizado numa ideia. Houve algumas etapas importantes. Nas eliminatórias tínhamos 4-3-3 com Coutinho flutuando, com um no meio e dois agudos. Tinha o Neymar do Barcelona e o Gabriel Jesus como central. Depois Renato machucou na Copa, entrei com Willian, mas ele fazendo mais a banda, jogador de lado, um agudo. Eventualmente fazia flutuação, mas ficava mais um 4-3-3. Nesse meio tempo Neymar ficou mais central, jogando com Cavani e Mbappé na frente. Na Copa América, trouxemos dois jogadores de lado e Coutinho jogando como no Bayern, com Firmino vindo rodar fora, mas Coutinho atrás do Firmino. Agora Neymar fica no centro, numa fase defensiva não vai para o lado demais para que seja sempre o penúltimo ou último adiantado. Com Coutinho sendo antepenúltimo. Neymar fica mais próximo do gol, mais centralizado. A transição defensiva o Coutinho vai fazer mais.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade