4 eventos ao vivo
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Tite exalta Neymar, mas se esquiva sobre falar se ele é o melhor depois de Pelé: 'Cada geração é histórica'

Comandante pede que 'nível de concentração' da Seleção seja semelhante ao do triunfo por 4 a 2 sobre o Peru, nesta terça-feira: 'Grau de dificuldade muito grande'

14 out 2020
00h09
atualizado às 00h33
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O feito histórico alcançado por Neymar teve espaço em meio à análise da vitória da Seleção Brasileira por 4 a 2 sobre o Peru. Em entrevista coletiva em Lima, nesta terça-feira, o técnico Tite destacou o camisa 10, mas esquivou-se de dizer se ele é o melhor depois de Pelé.

Tite se mostrou comovido com período trabalhando voltado para as Eliminatórias (Foto: AFP)
Tite se mostrou comovido com período trabalhando voltado para as Eliminatórias (Foto: AFP)
Foto: Lance!

- Eu não tenho condição de precisar isso. Cada momento é histórico, cada geração tem seus próprios valores. Ronaldo é extraordinário, Rivaldo é extraordinário, Bebeto é extraordinário... - e, em seguida, destacou:

- O mais importante é dar a bola para ele fazer a finta, dar o drible. Ele faz para o malabarismo, para o gol - completou.

O comandante canarinho avaliou os percalços que a Seleção enfrentou para derrotar o Peru e já traçou uma meta.

- Jogar contra o Peru tem um grau de dificuldade muito grande, ainda mais tendo a pressão de um resultado negativo. Quero manter este nível de concentração que tivemos e sair com a vitória - disse.

O treinador detalhou como projeta a atual equipe canarinha.

- Coutinho e Neymar são mais arcos, Richarlison e (Everton) Cebolinha são flecha. A ideia é equilibrar esta equipe. O Everton foi treinado para ter mais naturalidade de trabalhar pelo lado direito - disse.

Tite fez um balanço sobre os nove dias com a Seleção neste início de Eliminatórias.

- Não consigo resumir. Ele é humano, solidário ao minuto de silêncio que fizemos. Quero ser solidário a todos que faleceram pela Covid-19. Que o esporte não seja um artifício para justificar tudo aquilo que seja clínico, médico. E que de alguma forma tenhamos uma segurança para retomarmos nosso trabalho - declarou.

Veja também:

Veja quem mais jogou na Copa do Brasil
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade