PUBLICIDADE

Tironi analisa final da Libertadores: 'O Palmeiras é mais sólido, enquanto o Santos é mais inventivo'

Convidado do 'De Casa Com o LANCE!' desta segunda-feira, o jornalista detalha suas perspectivas para a decisão que acontecerá neste sábado, no Maracanã

25 jan 2021 20h02
| atualizado às 21h08
ver comentários
Publicidade

A confiança de que Palmeiras e Santos farão uma final de Copa Libertadores digna de honrar suas respectivas tradições marca Eduardo Tironi às vésperas do grande jogo no Maracanã. Convidado do "De Casa Com o LANCE!" nesta segunda-feira, o jornalista avaliou o fato da decisão acontecer com duas equipes que mudaram de planejamento no decorrer da temporada de 2020.

Eduardo Tironi destaca que mudança de técnicos nas duas equipes no meio da competição continental contrariou 'teses consideradas imutáveis' (Foto: Reprodução)
Eduardo Tironi destaca que mudança de técnicos nas duas equipes no meio da competição continental contrariou 'teses consideradas imutáveis' (Foto: Reprodução)
Foto: Lance!

- Isto derruba teses consideradas "imutáveis" e prova que é possível corrigir rotas. O Palmeiras teve um grande acerto ao corrigir seu rumo, mesmo sendo campeão paulista. O Santos, mesmo com problemas foras de campo se acertou com Cuca - e, em seguida, frisou:

- Na verdade, nesta temporada não tem receita. Há uma pandemia, muitos clubes foram prejudicados por conta da Covid-19. A temporada está meio aleatório. Chegaram à final os times que mereceram, que fizeram por onde, mas para este ano não teve "receita" de campeão - completou.

Tironi avaliou como o Verdão galgou os degraus até a decisão da competição continental.

- O Cebola (Andrey Lopes, técnico interino) e o Abel Ferreira souberam trabalhar melhor o Palmeiras. É uma equipe com boas peças defensivas, tem certamente o melhor goleiro do Brasil e também jogadores muito velozes no ataque, como Luiz Adriano, que é de nível europeu, Willian, (Gustavo) Scarpa. Os bons momentos sempre aconteceram quando o time conseguiu atrair o adversário e explorar a velocidade - disse.

O Santos, por sua vez, foi destacado pela maneira com a qual superou seus problemas.

- O Santos tinha a receita completa para dar errado. Imaginava-se antes que o Santos ia brigar para não cair. Não podia contratar, usou e abusou da sua base. Acho que é mérito de uma base muito forte e é uma questão do Santos que contraria historicamente tudo. O Cuca vinha de um trabalho abaixo da média no São Paulo e conseguiu montar um ótimo time - e falou sobre alguns jogadores do Peixe:

- Kaio Jorge mas é um jogador muito interessante, pois é um centroavante que não fica parado, se movimenta. Isso funciona bem em um time veloz. O Soteldo é um driblador muito forte, mas ia se encaixar em outro time? O Marinho não funcionou no Grêmio. São realidades que talvez só o Santos consiga proporcionar - completou.

O jornalista falou sobre o que esperar da final decidida em jogo único.

- Será um jogo de menos erros do que de apostar. Aí o Palmeiras leva alguma vantagem porque é mais sólido. O time do Santos é mais inventivo, se arrisca mais, sai mais para o jogo, é veloz. O Palmeiras sabe ser mais conservador, embora seja muito bom, não estou dando nenhum juízo de valor. O jogo do Santos sai quando se arrisca. O Palmeiras é capaz de controlar o adversário, dá uma estocada certa, por isso tem até uma pequena vantagem na final - afirmou.

SOBRE O 'DE CASA COM O LANCE!':

O "De casa com o LANCE!" é um programa apresentado exclusivamente por meio do Instagram do site. No formato home office, nossa equipe irá receber convidados exclusivos de diferentes esferas, como atletas, profissionais e influenciadores digitais, além da participação dos leitores com perguntas ao vivo. Para não ficar de fora, acompanhe o nosso Instagram (@diariolance) e o Twitter (@lancenet).

Lance!
Publicidade
Publicidade