PUBLICIDADE
Logo do

Botafogo

Meu time

Sem Frizzo, Chamusca terá que reinventar meia do Botafogo em clássico decisivo contra o Fluminense

Jovem volante segue em observação por concussão sofrida contra o ABC, e está fora do clássico contra o Fluminense

17 abr 2021
07h02 atualizado às 07h02
0comentários
07h02 atualizado às 07h02
Publicidade
Mesmo sem brilhantismo, Matheus Frizzo é o principal destaque do Botafogo na temporada. (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Mesmo sem brilhantismo, Matheus Frizzo é o principal destaque do Botafogo na temporada. (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

Neste sábado, o Botafogo enfrenta o Fluminense, às 16h, no Maracanã, em clássico decisivo pela 10ª rodada do Carioca. Caso perca, o Glorioso estará automaticamente fora das semifinais da Taça Guanabara, pelo terceiro ano consecutivo. Assim, além da semana conturbada por conta da eliminação para o ABC, na Copa do Brasil, o técnico Marcelo Chamusca terá que reinventar seu meio campo, por conta da ausência de Matheus Frizzo, por uma concussão. Embora seja volante de origem, o jogador é um dos que mais exerce a função criativa na equipe.

Eliminação precoce, risco de ficar fora do mata-mata do Estadual e ausências importantes. Este é um resumo do que foi a semana do Botafogo, em meio a uma equipe que busca sintetizar ao máximo os problemas para se reerguer nesta temporada.

No entanto, por mais que seja um elenco novo, alguns problemas no time de Chamusca seguem a mesma problemática de 2020: a falta de um 10. Assim, para esta temporada, das contratações do meio campo, Frizzo e Ricardinho são quem mais se aproximam de exercer as qualidades de um meio campista pensante e articulador.

Porém, muito pela polivalência e por conta da alta idade de seu companheiro - Ricardinho tem 35 anos -, desde do também contratado Pedro Castro, o jovem Matheus Frizzo é quem comanda o setor no Botafogo.

Logo, com sua ausência na partida pelo choque de cabeça sofrido contra o ABC, o técnico Marcelo Chamusca terá que ser criativo para arranjar uma solução que bata de frente com Nenê, Yago Felipe e Martinelli, na disputa pelo controle do meio campo contra o Fluminense. Veja as opções e quem já jogou no setor durante a temporada atual do Alvinegro:

OUTRAS OPÇÕES

Dentre as possibilidades, Chamusca pode optar por uma mudança no esquema, até por trocar a posição de outros atletas já considerados titulares.

Assim, tendo em vista o meio de campo mais lento do Tricolor, o deslocamento de Felipe Ferreira para a armação da equipe pode ser uma solução. Isso porque, o jogador já atuou de tal maneira nas partidas contra o Nova Iguaçu e Madureira, e foi bem. Mesmo sem a mobilidade de Frizzo, Felipe poderia abrir uma vaga para Marcinho, Ênio, Warley ou Ronald na ponta e, automaticamente, imprimir mais velocidade e o um contra um contra os laterais do Fluminense - tendo em vista a dificuldade de Egídio no lado esquerdo da defesa adversária.

Marcinho e Cesinha seriam as outras alternativas imediatas. Como quase todas as possibilidades mexem na forma de jogo, caso um dos atletas fosse promovido ao time titular, conseguiriam imprimir mais velocidade e, em tese, ofensividade ao meio campo do Glorioso - fator esse que, no mundo das ideias, beneficia um time que precisa da vitória a qualquer custo.

Porém, ambos os jogadores desperdiçaram suas cobranças contra o ABC e tiveram participação negativa na eliminação do Botafogo na Copa do Brasil. Portanto, Chamusca terá que pesar o psicológico e a confiança do time para efetivar tais mudanças.

Marcinho foi contratado junto ao Cuiabá. (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Marcinho foi contratado junto ao Cuiabá. (Foto: Vítor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

Para manter o padrão do tripé de volantes, Kayque pode ser uma boa solução. O jovem de 20 anos costuma a entrar bem - geralmente no lugar de Frizzo - e, inclusive, já foi titular com Chamusca.

Dessa forma, mesmo que tal alternativa pudesse combater o meio campo do Fluminense, Luiz Otávio apresentou desempenho abaixo nas últimas partidas e, caso Chamusca opte por Kayque no lugar de Frizzo, só restará Rickson como uma possibilidade para substituir Luiz como primeiro volante.

Assim, dentre todas as possibilidades, o Botafogo se vê mais refém de uma reestruturação que ainda está em andamento. Por isso, o 'jogo de tabuleiro' que Marcelo Chamusca irá fazer no meio campo, pode interferir diretamente na permanência, ou não, do Glorioso no Carioca.

Hoje com 12 pontos na sexta colocação, se vencer, o Glorioso chega a 15, ainda um a menos que o Tricolor. Além disso, mesmo se alcançar o triunfo, o Alvinegro ainda terá de secar o Vasco nas duas últimas rodadas - que está com 13 pontos, no quinto lugar -, vencer seu último jogo contra o Macaé e torcer para o Fluminense não somar nenhum ponto nas rodadas finais.

Lance!
Publicidade
Publicidade