0

Sem confirmar acordo com a Caixa, Andrés garante que seu sucessor no Corinthians terá 'paz e receitas'

Presidente licenciado do Timão se manifestou via perfil no Twitter para dar uma recado ao torcedor na véspera da eleição no clube e um dia após a revelação de acordo com o banco

27 nov 2020
14h33
atualizado às 14h33
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Na última quinta-feira, segundo informações do GE, o torcedor do Corinthians respirou com um pouco mais de alívio por conta do acordo com a Caixa pelo pagamento da dívida da Neo Química Arena. Apesar de não ter sido anunciado oficialmente, os efeitos dessa negociações tendem a refletir no próximo presidente do Timão, conforme afirmou Andrés Sanchez em rede social.

Andrés Sanchez garantiu que seu sucessor terá paz e receitas no Corinthians (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)
Andrés Sanchez garantiu que seu sucessor terá paz e receitas no Corinthians (Foto: Rodrigo Coca/Ag. Corinthians)
Foto: Lance!

TABELA

Na véspera da eleição que vai eleger o novo homem forte do clube e uma nova configuração do Conselho Deliberativo, Andrés usou seu perfil oficial no Twitter para dar um recado ao torcedor. Mesmo sem citar o acordo com o banco estatal, o presidente licenciado do Timão garantiu que seu sucessor terá paz e as receitas que ele não teve, segundo o que prometeu para este mandato.

- Voltei ao Corinthians com uma missão: fechar os acordos da Arena. Uma negociação complexa, que exige tempo. Mas a um mês de fechar o ciclo, meu sucessor pode ter certeza que terá a paz e as receitas que não tivemos e um clube mais forte pra investir no futebol. A torcida merece - afirmou o dirigente.

Em relação ao que disse sobre as receitas que o próximo presidente terá, Andrés se refere ao fato de que no novo acordo o Corinthians ficará com tudo o que for arrecadado pela Neo Química Arena além dos R$ 38 milhões que serão destinados a pagar a parcela anual da dívida do estádio, ou seja, se a Arena faturar R$ 50 milhões em um ano, R$ 12 milhões ficarão nos cofres do clube.

Essa é uma verba que os alvinegros nunca viram desde a inauguração, em 2014, já que a grana ia diretamente para o fundo que administra o estádio. Esse era um dos problemas que o Timão enfrentava ao longo dos últimos anos e Andrés se propôs a resolver desde que voltou para a presidência, em 2018. Ainda resta solucionar a parte da dívida que cabe à Odebrecht, algo que deve ser equacionado nas próximas semanas, antes do término do mandato.

A resolução dessa questão da Neo Química Arena, aliado ao acordo de naming rights com a Hypera Pharma, são considerados trunfos para a eleição de Duílio Monteiro Alves para presidente do clube. Ele é o candidato de Andrés Sanchez, do grupo Renovação & Transparência, que está no poder desde 2007. Augusto Melo e Mário Gobbi são os concorrentes no pleito que acontece neste sábado.

Veja também:

Técnicos estrangeiros que podem ser opções para times brasileiros
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade