PUBLICIDADE

Santos vence Olimpia fora de casa e está classificado na Libertadores

Em jogo de duas viradas, Peixe bate equipe paraguaia em jogo de 'desencantos' e intervenções milagrosas do goleiro João Paulo

1 out 2020 21h05
| atualizado às 21h11
ver comentários
Publicidade

O Santos está classificado às oitavas de final da Libertadores. No estádio Manuel Ferreira, em Assunção (PAR), o Peixe bateu o Olimpia por 3 a 2, pela quinta rodada da Conmebol Libertadores, nesta quinta-feira (01). O Alvinegro saiu na frente, sofreu a virada, empatou ainda na primeira etapa, mas garantiu o triunfo na etapa final.

Sánchez voltou a marcar depois de quase oito meses (Foto: NORBERTO DUARTE / POOL / AFP)
Sánchez voltou a marcar depois de quase oito meses (Foto: NORBERTO DUARTE / POOL / AFP)
Foto: Lance!

Sánchez, de pênalti, Marinho e Kaio Jorge anotaram os tentos santistas. Recalde, duas vezes, marcou para os paraguaios.

O Santos chegou a 13 pontos, na ponta do grupo G. O Por sua vez, o Olimpia, na terceira colocação, estacionou nos cinco pontos.

PÊNALTI NO INÍCIO DO JOGO

O Santos, em tese, ficou em situação confortável logo no início da partida. Precisando do resultado, o Olimpia foi pra cima nos primeiros minutos. No entanto, aos 14 minutos da etapa inicial, o lateral-direito Madson não desistiu em uma bola que cruzou toda a extensão da área, dividiu com o atacante Recalde e sofreu o pênalti.

Carlos Sánchez, que foi o artilheiro do Peixe em 2019, mas não balançava as redes desde o dia 10 de fevereiro, na vitória santista por 2 a 0 contra o Botafogo-SP, pelo Campeonato Paulista, na Vila Belmiro, foi confiante, após a motivação passada por Marinho, e bateu no cando direito do goleiro Azcona, que caiu para a esquerda.

APAGÃO SANTISTA

O gol marcado no início do jogo, que, em tese, serviria para ajudar o Peixe, fez com que a equipe relaxasse demais. Os paraguaios se aproveitaram disso e partiram para cima do Alvinegro. Pressionando na marcação do meio-campo, o Olimpia aproveitava os sequentes erros de passes do Santos e os espaços dados pelo sistema defensivo santista, principalmente pelo lado direito, que alternou os laterais Madson e Pará compondo o setor.

E foi nas costas de Madson, que havia sofrido o pênalti, que a equipe anfitriã abriu o marcado, com Recalde, o mesmo atleta que havia cometido a penalidade em cima do próprio camisa 13 do Peixe. O atacante aproveitou um cruzamento vindo do lado direito de ataque, passou pelas costas do lateraldo Peixe e subiu para empatar o jogo.

Onze minutos depois, o Olimpia virou a partida em novo espaço dado pelo lado direito. Dessa vez pelo chão, Recalde aproveitou o buraco deixado por Pará na zaga, se antecipou e marcou o segundo gols dos paraguaios.

No entanto, antes de sofrer a virada, o Peixe já havia deixado os paraguaios chegarem a sua meta em, pelo menos, duas oportunidades. Uma com um chute na entrada da área pra fora e em outra que João Paulo fez uma boa defesa em um mano a mano com Pitta.

ESTRELA DE MARINHO

Após apagar, o Santos precisava acender, no entanto, não se encontrava. Porém, o Peixe conta com um atacante iluminado, e não só nesta noite. Aos 40 minutos do primeiro tempo, o Alvinegro sofreu falta pelo lado direito, para ser alçada na área. Marinho bateu cruzado, o goleiro Azcona aceitou e o primeiro tempo terminou 2 a 2.

KAIO JORGE DESENCANTA

Assim como Sánchez, Kaio Jorge também desencantou. Após marcar o gol da vitória na virada por 2 a 1 contra o Defensa y Justicia (ARG), no dia 03 de março, pela primeira rodada do grupo G da Libertadores, na Argentina, o garoto de 19 anos nunca mais tinha ido às redes. Contudo, vinha fazendo partidas muito obedientes taticamente, auxiliando na marcação alta, voltando para buscar jogo e se apresentando quando a bola chegava, mas sendo vítima da falta de criatividade do meio-campo santista, que também não vem de hoje.

Contudo, aos 13 minutos do segundo tempo, Marinho fez bom levantamento para a área, encontrou Carlos Sánchez que serviu Kaio, com o gol praticamente vazio, para balançar às redes, com tempo, inclusive, de dominar e tirar do goleiro Azcona, que já estava caído.

JOÃO PAULO III

As grandes atuações jogo a jogo do goleiro do Santos deu a ele o apelido perante a torcida de João Paulo III, em alusão aos seus milagres debaixo da trave. E contra o Olimpia, o arqueiro teve mais uma atuação de destaque.

Se no primeiro tempo já havia feito uma grande intervenção em uma finalização de Pitta, quando o Santos mais precisou dele, foi ali que apareceu. Jogando a sua vida na Libertadores, o Olimpia foi para cima e João Paulo fez pelo menos mais quatro defesas difíceis.

OLIMPIA 2 X 3 SANTOS

FICHA TÉCNICA

Estádio: Manuel Ferreira, Assunção (PAR)

Data/Horário: 01 de outubro 2020, às 19h (horário de Brasília)

Árbitro: Nestor Pitana (ARG)

Assistentes: Martin Soppi (URU) e Carlos Barreiro (URU)

Renda/Público: Portões fechados

Gols: 0-1 Sánchez (14'/1T); 1-1 Recalde (22'/1T); 2-1 Recalde (33'/1T); 2-2 (40'/1T); 2-3 Kaio Jorge (13'/2T)

Cartões amarelos: Recalde (Olimpia); Alex Nascimento, Raniel e Jobson (Santos)

Cartão vermelho:

OLIMPIA (PAR): Azcona; Benítez (De La Cruz, 41'/2T), Leguizamón, Alcaraz e Arias; Domingo, Rojas, Alejandro Silva (Montenegro, 18'/2T), Recalde (Otalvaro, 41'/2T) e Camacho (Roque Santa Cruz, 18'/2T); Pitta (Jorge Rojas, 30'/2T). Técnico: Daniel Garneiro.

SANTOS: João Paulo; Madson, Pará, Alex Nascimento e Felipe Jonatan; Jobson (Ivonei, 27'/2T), Diego Pituca e Carlos Sànchez (Alison, 20'/2T); Marinho (Lucas Braga, 33'/2T), Kaio Jorge (Raniel, 33'/2T) e Soteldo Técnico: Cuca.

Lance!
Publicidade
Publicidade