PUBLICIDADE

Santos e Palmeiras chegam à final da Libertadores com mudança de técnicos e 'invertem' nacionalidades

O Verdão começou o ano com Vanderlei Luxemburgo, mas foi com o português Abel Ferreira que o time decolou. No Peixe, Cuca assumiu o posto de Jesualdo e elevou a equipe

29 jan 2021 08h03
| atualizado às 08h03
ver comentários
Publicidade

No próximo sábado (30), Palmeiras e Santos se enfrentam na grande decisão da Copa Libertadores, às 17h, no Maracanã. Um ponto que une ambos times paulistas foi a mudança no comando técnico em algum momento da temporada. Contudo, os times optaram por caminhos inversos nessa escolha.

Palmeiras e Santos passaram por mudanças no comando técnico na temporada de 2020 (Foto: Divulgação)
Palmeiras e Santos passaram por mudanças no comando técnico na temporada de 2020 (Foto: Divulgação)
Foto: Lance!

No alviverde, Vanderlei Luxemburgo foi responsável por colocar o Verdão como melhor campanha da fase de grupos da competição continental, mas resultados adversos no Campeonato Brasileiro fizeram a diretoria demitir o consagrado treinador e optar pela chegada do português Abel Ferreira.

Já o Peixe apostou na experiência de Jesualdo Ferreira, conterrâneo de Abel, para iniciar 2020. O português não conseguiu bons resultados e foi demitido no começo do ano. A diretoria santista apostou em um nome experiente no mercado brasileiro. Com Cuca, o Peixe provou ser extremamente competitivo e conseguiu chegar à decisão.

Palmeiras - Do brasileiro consagrado ao português questionado

Em dezembro de 2019, após o Flamengo ganhar a Libertadores e Brasileirão com Jorge Jesus, o presidente do Palmeiras, Maurício Galiote prometeu à torcida um treinador com DNA ofensivo.

A diretoria tentou Sampaoli, mas esbarrou nos altos valores pedidos pelo argentino e recuou na negociação. Com a temporada perto do início, Vanderlei Luxemburgo, um dos mais vitoriosos treinadores pelo Verdão, foi o escolhido para liderar o projeto de mentalidade ofensiva e melhor aproveitamento dos jogadores da base.

O começo foi promissor, com Luxa fazendo campanha sólida na Libertadores, garantindo o título paulista contra o rival Corinthians e lançando no time titular Gabriel Menino e Patrick de Paula. Contudo, o trabalho passou a ser questionado quando o Verdão perdeu por 2 a 0 para o São Paulo, no Allianz Parque.

Após revés para o Coritiba, por 3 a 1, Luxemburgo não resistiu à pressão e foi demitido. O Palmeiras tentou, e ficou muito perto de um acerto com o técnico sensação Miguel Ángel Ramírez, do Independiente del Valle.

Depois de tentar com três técnicos sul-americanos, a diretoria alviverde foi à Grécia fechar acordo com Abel Ferreira, anunciado no final de outubro.

Em menos de três meses, Abel classificou o Palmeiras para a final da Copa do Brasil, recolocou o clube na briga pelo título brasileiro e principalmente, conduziu o Verdão à final da Libertadores, eliminando o River Plate nas semifinais.

Santos - Da experiência portuguesa ao medalhão brasileiro

Assim como o Palmeiras, o Santos começou a temporada de 2020 em busca de um novo comandante. Isso porque Jorge Sampaoli, que havia recusado proposta do Verdão, sorriu para o Atlético-MG e fechou com os mineiros.

Em busca de um gringo, a diretoria santista foi até Portugal contratar um amigo de Jorge Jesus, Jesualdo Ferreira, no final de 2019.

O português teve um início sólido na Libertadores, vencendo Defensa y Justicia e Delfín na fase de grupos. Por outro lado, as atuações da equipe no Paulistão não convenciam. A eliminação nas quartas de final do torneio regional para a Ponte Preta foi o ponto final dele no clube.

Com a pandemia, Jesualdo treinou o Santos apenas em 15 oportunidades, conseguindo seis vitórias, quatro empates e cinco derrotas, resultando em um aproveitamento de 48,8%.

Vivendo grave crise financeira, o Santos abriu negociação com Cuca e conseguiu chegar em um acordo com o treinador para o restante da temporada.

Cuca lidou extremamente bem com a pressão política, soube gerenciar o vestiário santista e potencializou peças do elenco, como Marinho, Pituca e Veríssimo. Com um grande poderio ofensivo, o Santos goleou Grêmio e Boca Juniors, respectivamente, e agora precisa derrubar o Palmeiras para ser o único tetracampeão brasileiro da Libertadores.

* Sob supervisão de Marcio Monteiro

Lance!
Publicidade
Publicidade