0

Renato muda postura sobre análise do Flamengo: 'Tem sim o melhor futebol do Brasil

Treinador adotou um tom mais incisivo para elogiar o adversário do último domingo (17) sem deixar de pontuar diferença de atletas para o plantel do Imortal

18 nov 2019
11h37
atualizado às 11h37
  • separator
  • 0
  • comentários

Se mostrando absolutamente confiante como de praxe em suas palavras antes dos duelos pela Libertadores contra o Flamengo, após a queda no torneio continental e o novo revés pelo Brasileiro no último domingo (17), parece que o técnico Renato Portaluppi se mostrou um tanto quanto mais comedido em suas palavras.
Na entrevista coletiva dada após a partida na Arena, Renato pontuou que não se pode ter dúvidas de que o time carioca tem o melhor futebol do Brasil, Contudo, sem deixar de relevar que o oponente tem como elemento favorável uma maior quantidade de peças de alto nível:

Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Foto: Lucas Uebel/Grêmio FBPA
Foto: Lance!

- Hoje o Flamengo tem sim o melhor futebol do Brasil. Não agora, isso vem há horas. O Grêmio vinha jogando muito bem. Mas tem que colocar na balança o plantel do Flamengo e o plantel do Grêmio. Gosto de ver o Flamengo jogar, gosto de ver meu time jogar. O Flamengo, até pelo investimento, é sim, é o melhor time do Brasil sim. Ninguém tira o título brasileiro deles.

- Contra a maré não vou nadar. Mas as peças do Flamengo são umas e as do Grêmio são outras. Bato palmas para a diretoria do Flamengo porque fizeram um investimento muito grande, formaram um grupo para ganhar. Tem jogadores acima da média, tem grandes peças. Mas não quer dizer que o meu time não anda bem. Não temos jogado todo aquele futebol. O Grêmio não gastou 1% do que o Flamengo gastou e está no G-4. Não é que o Grêmio não esteja jogando um belo futebol, ele caiu do patamar que vinha jogando. O Flamengo está superior a todo mundo e a gente precisa reconhecer isso. Quem não reconhece está com ciúmes ou está cego - reforçou o treinador gremista.

Seguindo na linha da montagem de elenco, o técnico aproveitou para também dar uma espécie de "recado" a diretoria Tricolor de que, se houver uma redução no volume de investimento para contratar reforços, o clube pode ir ao mercado para trazer outro comandante:

- A gente não vai abrir o cinto demais, como Flamengo, Palmeiras. O que posso garantir é que, se eu ficar, é que o cinto não vai se fechar. Se o cinto fechar, pode contratar outro treinador. Não vou ficar brigando para ficar sempre lá atrás nas competições. Nasci para vencer e sempre vou fazer meu grupo vencedor. Mas para isso preciso ter minhas peças também.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade