0

Recado ao rival? Andrés diz que não tem como segurar jogador: 'Vão ver o que vai acontecer do outro lado'

Presidente do Corinthians fala com jornalistas após a vitória sobre o Botafogo, não descarta novas vendas nem contratações e diz que São Paulo é favorito no clássico

19 jul 2018
01h27
  • separator
  • comentários

A vitória por 2 a 0 sobre o Botafogo nesta quarta-feira deu mais tranquilidade ao Corinthians na volta depois da pausa para a Copa do Mundo. Apesar das peças perdidas, o time mostrou boa reação para o segundo semestre, mas quando as coisas parecem mais calmas, a figura do presidente Andrés Sanchez aparece para esclarecer algumas dúvidas dos jornalistas e colocar um pouco de polêmica na rotina do clube. Mais uma vez, o mandatário pareceu querer dar um recado ao rival Palmeiras.

Andrés deu entrevista após vitória sobre o Botafogo e não faltaram declarações polêmicas (Foto: Daniel Vorley/AGIF)
Andrés deu entrevista após vitória sobre o Botafogo e não faltaram declarações polêmicas (Foto: Daniel Vorley/AGIF)
Foto: Lance!

Ao comentar sobre uma possível saída de Rodriguinho e não descartar mais perdas nas próximas semanas, o dirigente pareceu cutucar a recusa do Verdão para uma proposta de 15 milhões de euros do Shandong Luneng por Dudu, que já declarou não ter ficado feliz por não ter sido negociado com os chineses.

- Os jornais todo dia chega proposta, para mim não chega, mas para a imprensa chega todo dia. Tenho que conviver com isso, a janela está aberta, o dólar está a 4 reais. Se um clube vier, fechar com o jogador e o jogador quiser ir, não tem jeito. Vocês vão ver o que vai acontecer lá do outro lado segurando jogador - declarou Andrés.

Em seguida, porém, ele desconversou sobre estar falando do Palmeiras ou de Dudu e culpou a imprensa por criticá-lo quando toca nos assuntos do rival.

- Eu não vou responder, porque vocês reclamam que eu falo do Palmeiras - emendou o cartola.

Andrés também falou de outros assuntos durante a pequena coletiva após o triunfo sobre o Botafogo, na Arena Corinthians. Confira abaixo os principais trechos da entrevista:

Protesto de sábado

Vivemos em uma democracia, cada um faz o que quer. Com respeito, pode fazer o que quiser. Já fiz muito protesto também, faz parte. Se me procurar, eu atendo a todo mundo, mas não me procuraram. Tem muita política, deixa pra lá, vamos ver sábado quantas pessoas tem.

Rodriguinho sai?

Pelo que vocês falam o time inteiro vai ser vendido, vamos ver quando a janela acabar, eu não posso garantir. Talvez a gente jogue o segundo semestre com o sub-20
.
Zagueiro será contratado?

Sempre vamos observar, mas a princípio não tem prioridade nenhuma para zagueiro, o Pedro Henrique está bem, tem o Léo Santos, o Marllon, tem gente da base. Todo mundo quer que suba pessoal da base, vamos subir da base

Eleição

Fui candidato, fico triste, porque é ruim para o Corinthians. Mas tem que perguntar para o presidente do Conselho na época, da comissão eleitoral. Não tem nada, fazem um carnaval, infelizmente o Corinthians está virando essa política

Emprestados

Contrata, não dá certo, tem que emprestar. Melhor pagar metade, não pagar ou pagar tudo do que ficar aqui sem jogar

Clássico contra o São Paulo

Corinthians é zebra sempre. Jogar contra um time contra o São Paulo se a gente ganhar tem que levantar a mão para o céu

Elenco terá novas contratações?

Nunca está fechado, está sempre aberto, vamos esperar quanto vamos vender

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade