2 eventos ao vivo

Raí detona arbitragem, critica VAR após expulsão e promete 'uma ação'

Diretor de futebol do São Paulo viu árbitro de vídeo sem critérios durante empate com o Bahia; Toró foi expulso após juiz consultar o VAR em lance interpretativo

19 mai 2019
14h55
atualizado às 15h43
  • separator
  • comentários

O técnico Cuca não quis comentar a arbitragem de São Paulo e Bahia, mas o diretor de futebol do clube paulista não se acanhou ao criticá-la. Na zona mista, Raí expôs sua insatisfação com as decisões da arbitragem e considera tomar ações contra o que considera injustiça.

Raí , diretor do São Paulo, fez queixas a respeito da arbitragem (Fellipe Lucena)
Raí , diretor do São Paulo, fez queixas a respeito da arbitragem (Fellipe Lucena)
Foto: Lance!

As reclamações de Raí se resumem a dois lances da partida da manhã deste domingo: a expulsão de Toró, que pisou no ombro do goleiro Douglas e inicialmente recebeu amarelo, mas acabou expulso após o árbitro Daniel Nobre Bins consultar o VAR. O segundo lance aconteceu ainda no início do jogo, quando Lizeiro torceu o tornozelo em disputa de bola com Gregore, mas o jogador do Bahia nem amarelo recebeu.

- Isso decide uma partida, são dois pontos que não voltam mais. Vamos ver o que é melhor a fazer, uma ação mesmo, porque é falta de competência. O cara pisou no tornozelo do Liziero no primeiro tempo, o Toró não tinha intenção nenhuma de machucar o Douglas. O cara para ser expulso tem que cometer uma agressão.

Para o diretor de futebol, o resultado da partida seria muito diferente caso Toró não tivesse sido expulso, já que o São Paulo vivia seu melhor momento no jogo.

- O São Paulo jogou mal no primeiro tempo, o time que quer brigar para chegar não pode jogar assim, é uma coisa interna que a gente tem que melhorar. Quando o time volta e melhora, o juiz faz essa besteira que acaba estragando todo um trabalho que foi feito. A gente viu que no início do segundo tempo o São Paulo partiu para cima e tinha boas chances de vencer.

Raí também lembra que essa não é a primeira vez que uma decisão da arbitragem prejudicou o Tricolor paulista, citando entrada de Thuler em Pato, no jogo contra o Flamengo, que tirou o atacante da partida e saiu sem cartão nem consulta ao VAR.

- Um lance no Tchê Tchê no final do jogo contra o Fortaleza, no caso do Pato nem foi consultado o VAR. Então, a gente só está vendo que o VAR, infelizmente, só está confundindo, estragando o espetáculo e o trabalho, o que é o mais grave. A gente tem que ver o que pode fazer, marcar posição. Fazer alguma coisa para, pelo menos, diminuir as chances de que isso se repita. O clube tem que ter uma posição institucional, vamos ver a melhor maneira para que a gente tenha chances de reparar isso.

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade