0

Qual o meio-campo que resolve? Os dilemas do Vasco para tentar crescer

Na última tentativa de arrancar rumo ao sonho da Copa Libertadores, Vanderlei Luxemburgo precisa encontrar a melhor forma de o Cruz-Maltino dispor o setor central

3 nov 2019
09h07
atualizado às 09h07
  • separator
  • 0
  • comentários

O Vasco de Vanderlei Luxemburgo, já distante da zona de rebaixamento, se permitiu ser mais ofensivo, mas vem sofrendo para criar de forma natural. Tanto que são três jogos sem vencer. E em meio às opções para qualificar o setor ofensivo, o treinador fez de Fredy Guarín um meia quase atacante contra o Fluminense, neste sábado. Não funcionou e o colombiano foi substituído ainda no intervalo, assim como Bruno Gomes.

Richard se tornou um ponto de referência no meio-campo do Vasco (Foto: LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE F.C.)
Richard se tornou um ponto de referência no meio-campo do Vasco (Foto: LUCAS MERÇON/ FLUMINENSE F.C.)
Foto: Lance!

TABELA
> Confira a classificação e o simulador do Brasileiro clicando aqui

- Hoje o Guarín ficou solto, aí o Bruno tomou cartão e eu inverti o triângulo do meio-campo. A substituição foi porque eu preferi voltar com o nosso meio-campo, acho que eu me equivoquei hoje. Talvez na posição do Guarín - admitiu o treinador, após a partida contra o Tricolor. E completou sobre a condição física de um dos últimos contratados da temporada:

- Hoje, talvez, não devesse nem ter começado com ele, vou conversar com ele até. Ele é um grande jogador. Para o próximo jogo, com certeza vai estar melhor do que hoje - avaliou o treinador.

De fato, quando mais avançado o colombiano não deu a dinâmica necessária para a função. Após ser recuado, o time fluiu mais. Mas é justamente aí que entra o dilema do time cruz-maltino. Como atacar melhor para almejar um lugar ao sol se o time flui melhor, na visão do comandante, com o trio que foi importante na arrancada contra a degola?

Richard, Raul e Marcos Junior formaram o meio-campo durante a etapa final. E Luxemburgo tem à disposição, além de Guarín e Bruno Gomes, de passe qualificado, meias de ofício. O mais utilizado, atualmente, é Felipe Ferreira. Bruno César, Marquinho e Gabriel Pec são outros, mas passam longe de ser prioridade para a criação.

Para o duelo contra o Palmeiras, na quarta-feira, além da dificuldade do vice-colocado do Campeonato Brasileiro, o time terá duas mudanças obrigatórias e quase nenhum tempo para treino da nova formação sem os suspensos Richard e Bruno Gomes. Exatamente no setor crucial.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade