0

Perisic festeja o gol importante e exalta o torcedor croata

Premiado como MVP de Croácia e Inglaterra, ele lembra que o bom futebol a partir do segundo tempo garantiu a vaga na final. vibra com gol importante e elogia a sua torcida

11 jul 2018
19h18
atualizado às 19h48
  • separator
  • comentários

Nesta Copa do Mundo, o meia/atacante Perisic ficou devendo um bom futebol nas oitavas, nas quartas e durante todo o primeiro tempo do jogo desta quarta-feira contra a Inglaterra. Porém, na etapa final, a partir do gol que marcou empatando a partida em 1 a 1, ele mudou da água para o vinho. Passou a organizar todas as principais jogadas da Croácia, quase marcou mais um gol no tempo normal e, na prorrogação, foi dele a assistência para o gol de Mandzukic, que valeu o triunfo por 2 a 1 sobre a Inglaterra e a inédita vaga para uma final de Copa para o seu país.

Perisic vibra e é celebrado pelos seus companheiros e a torcida da Croácia logo após marcar o gol de empate de sua seleção, iniciando a reação que levou o o time ao triunfo sobre a Inglaterra e para a final da Copa(centro) AFP
Perisic vibra e é celebrado pelos seus companheiros e a torcida da Croácia logo após marcar o gol de empate de sua seleção, iniciando a reação que levou o o time ao triunfo sobre a Inglaterra e para a final da Copa(centro) AFP
Foto: LANCE!

Assim, não por acaso o camisa 4 foi considerado o melhor jogador em campo em votação da Fifa. E na coletiva, o jogador da Inter de Milão analisou a partida.

- O jogo foi muito difícil. Começamos lentos, mas o time atacou no segundo tempo, dominamos o jogo e vencemos. Gostaria também de agradecer a todos os torcedores que vieram a Moscou e também nos apoiaram em nosso país, sei que estão muto felizes e nos ajudaram muito - disse Perisic, que lembrou que há 20 anos ele estava em casa vendo a Croácia ir para a semifinal e acabar derrotada pela França, se emocionando.

- Na Copa-98 eu era um menino em Split, minha cidade. vesti a camisa da Croácia e torci por aquele grande time que perdeu nas semifinais. Agora, é um sonho estar jogando pela Croácia e fazer um dos gols que nos levaram para a final.
O jogador foi perguntado sobre o seu início de carreira no futebol francês, quando seu contrato com o Sochaux ajudou a evitar a falência de seu pai e agora ele enfrentará a exatamente a França na final:

- Tenho belas memórias da França, mas isso é irrelevante agora. Temos mesmo é de pensar na final, contra uma equipe muito boa, com ótimos jogadores se destacando nos grandes times, boa defesa e que venceu uma Bélgica que vinha qualificada após derrotar o Brasil.

LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade