2 eventos ao vivo

Odair elogia jogo de Luiz Herinque e vê oscilação normal no Fluminense

Treinador ainda dedicou a vitória na Copa do Brasil a Eduardo Silva, o Dudu, ex-preparador físico do Internacional, que morreu após sofrer um AVC

17 set 2020
00h50
atualizado às 01h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Dentre as dificuldades apresentadas pelo Fluminense na vitória por 1 a 0 contra o Atlético-GO, nesta quarta-feira, pelo jogo de ida da Copa do Brasil, o jovem Luiz Henrique saiu em alta com Odair Hellmann. Após a partida, em entrevista coletiva, o treinador aprovou a atuação do jogador de 19 anos, que vinha jogando pelos lados do ataque, mas foi utilizado como centroavante para tentar suprir a perda de Evanilson, negociado com o Porto, de Portugal.

- O Luiz Henrique é um menino que tem excelentes características. Tanto em parte técnica quanto em valências físicas. Subimos ele para o profissional na integração que temos com a base. Ele foi se destacando nos treinamentos, ganhando corpo. Mostrando qualidade, força, subindo de degrau. Mostrou sempre uma personalidade. Temos usado ele sempre pelo lado do campo, mas eu não me rotulo a visualizar o futebol em um aspecto mais amplo. Ele é um atacante, pode ser de lado ou por dentro. Hoje oportunizamos como um cara mais de frente, centroavante, com mais profundidade, mas agregando a imposição que ele tem de pivô, o cabeceio - disse.

Acho que ele fez uma ótima partida em todos os sentidos. Não sentiu nenhum desconforto com os movimentos. Ganhamos mais uma opção para a posição, temos o Fred, o Marcos Paulo e o Felippe, que estamos oportunizando novamente. Ele tem características de valências físicas muito próximas do Evanilson. É um jogador potente, de boa velocidade, imposição jogando de costas. Ele me disse que já jogou nessa função e é uma função que tem atletas que tem características específicas para aquilo. Mas tem outros que as características que ele tem propõe ao treinador abrir espaços. É um atacante nato - completou.

Sobre a atuação do Fluminense em geral, Odair vê como natural a oscilação que a equipe vem passando na temporada. Desde o início do Campeonato Brasileiro, em agosto, o Tricolor ainda não teve uma semana completa de trabalho, atuando em média de três em três dias até aqui. O confronto de volta da Copa do Brasil acontece no dia 24, quinta-feira, em Goiânia. No domingo, o Flu visita o Sport.

- Vai acontecer em determinados momentos, estamos trabalhando para que eles demorem a acontecer ou não aconteçam, de algumas oscilações dentro da sequência. Vai acontecer com todos os times, temos oscilado menos até. Hoje foi um jogo que no primeiro tempo estávamos mais lentos. Isso está ligado a falta de tempo para recuperar os jogadores, treinar os atletas e confrontar com os erros e acertos para que haja evolução. Eles estão se entregando de todas as formas, mas não tem jeito. Vai chegar um momento que os jogadores vão sentir individualmente, a equipe acaba sentindo também - analisou.

- Temos que elogiar o adversário. Quero fazer um elogio ao Atlético-GO e ao trabalho do Vagner Mancini. No outro jogo eles conseguiram um empate quando estávamos bem. Aquele resultado gerou uma confiança para a equipe deles que após essa partida eles venceram o Vasco, o Bahia, empataram com o Grêmio. Mostra que é uma boa equipe e extremamente competitiva. Felizmente conseguimos a vitória porque insistimos na construção, trocando algumas peças para mudar a característica do jogo e criar mais volume e oportunidades, que foram poucas para os dois times - finalizou

Homenagem

Antes de iniciar a coletiva, Odair Hellmann dedicou a vitória no Maracanã a Eduardo Silva, o Dudu, ex-preparador físico do Internacional, que morreu nesta quarta-feira após sofrer um AVC. O treinador do Fluminense recebeu a notícia ao final da partida e lamentou a perda do amigo com quem trabalhou no clube gaúcho.

- Gostaria de oferecer meus pêsames à família do Dudu, preparador físico com quem tive a oportunidade e a honra de ter trabalhado no Internacional, eu como jogador, ele no início de carreira. Perdemos ele hoje, infelizmente. Ele estava tentando, lutando. Nós, como amigos, vínhamos mandando orações para que acontecesse o melhor. Recebi a notícia quando terminou o jogo. Eu estou triste. É um membro do futebol. Gostaria de fazer essa homenagem, dedicar a vitória ao Dudu. Força e luz à família para seguir em frente. Sentimentos ao Mano e ao Sidney, dois companheiros de trabalho de muito tempo com ele, que certamente estão bastantes tristes hoje. Essa vitória é em homenagem a tudo que ele fez no futebol - comentou Odair.

Odair à beira do campo no duelo contra o Atlético-GO (Lucas Merçon/Fluminense)
Odair à beira do campo no duelo contra o Atlético-GO (Lucas Merçon/Fluminense)
Foto: Lance!

Veja também:

Os maiores artilheiros estrangeiros da história do Vasco
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade