0

No reencontro à vera, Egídio prega o otimismo e afirma: 'O jogo é jogado'

Lateral-esquerdo vai jogar o segundo Fla-Flu, porém dessa vez com o Rubro-Negro titular. Partida terá sabor especial para o jogador, cria da Gávea, mostrar mais uma vez o seu valor

11 fev 2020
07h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A semifinal de quarta-feira vai colocar novamente Egídio e Flamengo frente a frente. No primeiro clássico contra o clube no qual foi revelado, o lateral-esquerdo levou a melhor, com a vitória do Fluminense por 1 a 0. No entanto, o Rubro-Negro foi a campo com uma equipe formada por garotos. Dessa vez a partida será à vera, valendo uma vaga na decisão da Taça Guanabara, com os jogadores badalados em ação. Apesar de todo o favoritismo estar do outro lado, Egídio afirmou que o adversário não é invencível.

Em quatro jogos pelo Tricolor, Egídio já contribuiu com duas assistências (Foto: Mailson Santana/Fluminense)
Em quatro jogos pelo Tricolor, Egídio já contribuiu com duas assistências (Foto: Mailson Santana/Fluminense)
Foto: Lance!

- É Fla-Flu, é clássico. Então se vai ser difícil para a gente, vai ser difícil para eles também e o clássico é definido em detalhes. O jogo é jogado, o Flamengo não é um time invencível. Então é a gente se preparar, não tem nenhum monstro do outro lado. É um Fla-Flu, clássico histórico e estaremos preparados para esta semifinal.

Aos 33 anos, Egídio se consolidou como um dos jogadores mais vencedores da década, conquistando três títulos brasileiros e duas Copas do Brasil, com as camisas de Cruzeiro e Palmeiras. Cria da Gávea, o lateral-esquerdo jamais se firmou pelo Flamengo, sendo emprestado diversas vezes para clubes de menor expressão, como Paraná, Juventude, Figueirense, Vitória, Ceará e Goiás até conseguir a consagração atuando pelos gigantes mineiro e paulista.

Apesar de ter jogado a carreira praticamente toda no futebol brasileiro, Egídio enfrentou o Flamengo em apenas 12 oportunidades e somente por três clubes diferentes: Paraná, Cruzeiro e Fluminense. Ao todo, o lateral-esquerdo venceu cinco jogos e perdeu sete. Caso dê empate, o lateral-esquerdo leva a melhor, já que o Tricolor possui essa vantagem por ter sido o líder do Grupo B. No entanto, para o jogador, o time tem que entrar para vencer, deixando esse detalhe para o fim do jogo.

- Vamos jogar com a vantagem do empate porque a gente construiu isso. Agora, a gente não entra em campo pensando em empatar, mas sim em vencer. Se chegar no fim do jogo e estivermos apertados e a partida empatada, vamos pensar na vantagem. Vamos entrar para vencer. O time contra o Botafogo apresentou um bom futebol, consistente, com bastante seriedade dentro de campo. Esperamos fazer uma bela partida como fizemos no domingo.

Dos confrontos entre cria e Flamengo, dois foram eliminatórios, com uma classificação para cada lado. Na Copa do Brasil de 2013, o Rubro-Negro levou a melhor nas oitavas de final e acabou sendo campeão ao fim da competição. Já em 2018, Egídio foi o vencedor atuando pelo Cruzeiro, nas oitavas de final da Libertadores da América. Portanto, haverá um desempate, que para o jogador terá um sabor especial, já que mais uma vez vai provar o seu valor que jamais foi reconhecido no clube que o revelou.

Veja também:

Editor do L! analisa sorteio de mando na final da Taça Rio
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade