0

'Narra quem sabe': L! mostra perfil da candidata Natália Lara

'Não contei para os meus amigos ainda. Eles estão descobrindo', revelou a candidata de 24 anos. Ao L!, a paulista Natália mantém os pés no chão e conta suas histórias sobre narração

16 abr 2018
08h02
  • separator
  • comentários

Em março deste ano, a jornalista Vanessa Riche conversou com o LANCE! e declarou que 'era preciso uma mulher narradora'. A fala faz referência ao projeto 'Narra quem sabe', do Fox Sports, que vai escolher três mulheres para ser a voz do canal na Copa do Mundo. Com isso, o L! conversou com as selecionadas Gaby de Saboya, Manuela Avena, Luciana Zogaib, Isabelly Morais, Renata Silveira — e a entrevistada desta segunda-feira, Natália Lara.

Formada em Rádio/TV, a paulista de 24 anos seguiu o conselho de seu professor para ser narradora. Fez curso de locução e de narração esportiva para encarar o desafio. Com o futebol entranhado no ambiente familiar, não demorou para dar o primeiro passo e surpreendeu em sua primeira narração, logo no 7 a 1 contra a Alemanha.

— Quando estava na faculdade nós entramos no módulo de locução, especificamente no módulo de locução esportiva. E aí a professora falou: "Quem quer narrar?" Eu resolvi que iria narrar. Ela falou: "Escolhe um jogo e faz". Escolhi o jogo do 7 a 1 porque era o jogo do Brasil, era um jogo que conhecia e tinha na internet completo também — revelou.

Natália tem 24 anos e é formada em Rádio/TV (Foto: Thaynara Lima)

O repórter avisa aos amigos de Natália: você, que está próximo da candidata, saiba pelo LANCE! que ela está entre as seis escolhidas do programa. Pode parecer estranho, mas foi opção da mesma. Ela decidiu não contar a novidade e deixar que as pessoas fossem descobrindo. Caso seja escolhida para as três finalistas, quer surpreender com uma narração de Copa do Mundo.

— Não contei para os meus amigos ainda. Eles estão descobrindo. Alguns já ficaram sabendo, mas meus amigos próximos não viram nenhuma matéria em nenhum lugar. Eu estou deixando eles descobrirem. Os boletins que vão aparecendo por aí, tanto na TV quanto na internet. Até mesmo as coisas que a Vanessa posta — e completou, explicando os pés no chão:

— As pessoas falam comigo: "Como assim, cara?" Mas a minha decisão de não contar é que no dia que der certo e ser selecionada entre as três eu vou falar assim: "Galera, quando começar a Copa vocês ligam na Fox Sports que eu vou narrar alguns jogos". Por enquanto, como é um processo de treinamento, eu resolvi não contar. Mesmo tendo muita gente que torce por nós, tem muita gente que não — disse a paulista.

Das seis selecionadas, apenas três vão ser escolhidas para narrar os jogos do Brasil na Copa do Mundo. Elas vão receber treinamento na sede do Fox Sports, no Rio de Janeiro, e os nomes serão divulgados no dia 15 de maio. Natália é a única paulista participante - que conta com mulheres de outros três estados - e quer honra o nome das profissionais de São Paulo no programa.

— Representar São Paulo é muito orgulho. É o lugar onde nasci, fui criada, e muita pressão ao mesmo tempo, porque é um estado gigantesco, é uma grande potência. São Paulo é um pólo esportivo muito grande. Existem muitas mulheres competentes que estão na área de comunicação e esportes, então pra mim é uma honra e muito legal poder representar esse estado — comentou antes de entrar na cabine para gravação.

Bate-bola com Natália Lara:

Qual jogo você escolheu enviar para o processo de seleção?
— Mandei um jogo do Brasil contra o Paraguai, nas Eliminatórias da Copa. Escolhi porque a Seleção Brasileira é um time que a gente conhece. Para mim seria mais fácil de poder desenvolver e estudar os lances. Escolhi esse jogo por estar adequada a proposta e tudo mais. Brasil também teve um resultado positivo, foi 3 a 0 contra o Paraguai, então era um jogo que dava para explorar muita coisa — contou.

Quais seus pontos fortes e fracos na narração?
— Eu achava que tinha um ponto alto de técnica, mas acho que tenho muito o que evoluir. Estou recebendo muita crítica construtiva em relação a minha técnica. Estou refletindo sobre o que eu fazia que achava que era bom e o pessoal da Fox me dando esse panorama para melhorar. Hoje em dia concordo com a Vanessa (Riche) que o meu ponto mais forte é a voz, e também a experiência que eu tive com rádio — explicou.

Como você vê a importância de uma mulher narradora na Copa?
— Toda importância. Porque é um tabu que ainda existe, de achar que mulher não pode estar no meio do esporte e narrando, que não existe nenhuma mulher narrando hoje em dia. Então, eu acho que nós estamos escrevendo essa história. A Fox está dando essa oportunidade da gente estar escrevendo, quebrando esses paradigmas e mostrando que mulher pode estar no lugar que ela quiser, principalmente no esporte narrando, porque todas as mulheres são capazes disso e eu acredito nisso — completou.

Quem é Natália Lara?
— Eu sou uma pessoa que também cresci sendo muito ligada à futebol e esportes. Sempre joguei futebol com meu pai quando criança e na escola também jogava com os meninos porque as meninas não gostavam de jogar. Além de gostar muito de cinema e todas essas questões que são ligadas a minha faculdade, eu gosto de estar acompanhando os esportes. Sou uma pessoa que adora Olimpíada e Copa do Mundo, sou fissurada em futebol feminino. Pra mim, tudo o que tem a ver com futebol eu quero saber — disse.

Palpites para a Copa do Mundo:
Final da Copa do Mundo: Brasil e Alemanha
Campeão: Brasil
Craque: Neymar
Artilheiro: Neymar
Decepção: França

LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade