5 eventos ao vivo

Motivado após nascimento do filho, Zanetti retoma rotina em seu clube

Campeão olímpico voltou às atividades no SERC/Agith, de São Caetano, onde treina desde os sete anos, e se disse feliz pela experiência de pai de Liam, que nasceu no último dia 13

22 set 2020
20h48
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Campeão das argolas nos Jogos de Londres-2012, Arthur Zanetti encontra diversas motivações para focar em mais uma medalha olímpica, em meio aos transtornos causados pela pandemia de Covid-19. Há pouco mais de uma semana, ele se tornou pai de Liam, fruto do casamento com Jéssica, e retomou na segunda-feira os treinamentos no clube SERC/Agith, de São Caetano.

Arthur Zanetti posa com o filho Liam, que nasceu no último dia 13 (Foto: Divulgação)
Arthur Zanetti posa com o filho Liam, que nasceu no último dia 13 (Foto: Divulgação)
Foto: Lance!

- Os dois estão bem e estou aprendendo essa nova rotina. Só mesmo sendo pai para saber como é. Ele está colaborando bastante, não acorda a noite, é muito tranquilo e está ajudando muito a gente. Estamos aprendendo e a felicidade é enorme. Me sinto motivado - declarou Zanetti.

Arthur treina pela manhã, rotina que manterá todos os dias, conciliando o apoio à esposa e ao filho, que nasceu no dia 13 de setembro. O ginasta tem o clube do ABC paulista como uma segunda casa desde os sete anos de idade. Desde os nove, ele trabalha com o técnico Marcos Goto.

- A sensação de estar voltando ao 'meu' próprio ginásio é muito boa e isso é motivador também. No momento da pandemia, a gente estava treinando em casa e com a Seleção pelas salas virtuais. Depois, tive a oportunidade de ir para Portugal, para ter o contato com o ginásio, na Missão Europa. Agora é manter o treino e voltar a fazer todos os elementos que a gente fazia e até algumas ligações - completou o atleta, que

- Apesar de não ter nenhuma competição programada para esse ano, já vou começar a fazer uma parte das séries e pegar ritmo para começar o ano bem, não do zero.

O ginasta de 30 anos já declarou em entrevistas recentes que os Jogos de Tóquio devem ser os últimos de sua carreira. Ele tem o objetivo de se tornar o primeiro ginasta da história a conquistar três medalhas olímpicas nas argolas. Além do ouro em Londres, ele faturou a prata na Rio-2016.

Veja também:

Editor do L! analisa os destaques e decepções do primeiro turno do Brasileiro
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade