0

Montenegro: 'Estou preocupado, se não separar a S/A do futebol, o Botafogo fica ingovernável'

Ao chegar ao pleito em General Severiano, ex-presidente diz confiar que Durcesio de Mello tem bom trânsito com investidores, mas alerta: 'Não sei se coloco um amigo na fogueira'

24 nov 2020
19h13
atualizado às 19h33
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O ex-presidente do Botafogo, Carlos Augusto Montenegro, traçou um panorama muito pessimista sobre o que o próximo gestor terá pela frente no clube. Em entrevista coletiva em General Severiano nesta terça-feira, o ex-membro do Comitê Executivo do Alvinegro manifestou seu apoio a Durcesio de Mello, mas condicionou a tranquilidade ao projeto da S/A.

'Está sendo um milagre este ano. Às duras penas estamos fazendo os jogos', diz Montenegro (Foto: Vitor Silva/Botafogo)
'Está sendo um milagre este ano. Às duras penas estamos fazendo os jogos', diz Montenegro (Foto: Vitor Silva/Botafogo)
Foto: Lance!

- O Durcesio vem tentando ser nos últimos dez anos e eu não o convencendo. Esse ano, saindo o projeto da S/A, ele teria menos dificuldade. Estou começando a ficar muito preocupado caso não saia a separação do futebol, com o clube, porque aí é ingovernável. Não sei se estou fazendo bem ou fazendo mal - e, em seguida, falou o que pesa para votar em Durcesio:

- Talvez seja o único que possa dar boa esperança. Ele tem bom trânsito com investidores, com empresários, com quem queira ajudar o Botafogo. Os demais não acreditam no projeto - completou.

Em seguida, falou sobre os desafios que têm assolado o Alvinegro neste período.

- Está sendo um milagre este ano. Às duras penas estamos fazendo os jogos. Estamos nos virando com contas atrasadas. Por incrível que pareça, as contas que estão em dias são dos salários. Estou vindo aqui com sentimento de cumprir a obrigação. Mas não sei se estou com esperança ou jogando um amigo de infância no inferno. Mas estamos fazendo com a melhor das intenções - disse.

O ex-dirigente também falou sobre o desempenho da equipe no Campeonato Brasileiro.

- Infelizmente, o futebol não está bem. Sempre há falta de dinheiro, resultados não esperados. Fomos prejudicados pela arbitragem, houve contratações equivocadas, mas o time não está bem - declarou.

A esperança passa pela chegada do novo treinador, Ramón Díaz.

- Estamos com expectativa de que ele melhore o grupo. O grupo precisa de confiança. Jogamos de igual para igual muitas partidas. É um misto de esperança e de estado caótico do clube - disse.

Veja também:

Tua, Daniel Jones e Lamar Jackson são brindados com opções para o jogo aéreo
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade