0

Mistura do Brasil com... Irã? Conheça o time do Oriente Médio que se inspira na Seleção canarinho

Sanat Naft, equipe da primeira divisão do Irã, tem as mesmas cores da Seleção Brasileira. Inspiração vem da Copa do Mundo de 1970, década onde o clube foi criado no país

30 mai 2019
08h47
  • separator
  • 0
  • comentários

A Seleção Brasileira encantou o mundo no último século, principalmente na Copa do Mundo de 1970, quando levantou a taça no México. Recheada de craques como Pelé, Jairzinho, Gérson, Rivellino, entre outros, ficou para sempre na história. No entanto, um time do Irã levou a idolatria a outro patamar e se inspira na Seleção até nas cores do uniforme.

Fundado em 1972, o Sanat Naft Football Club é a junção de dois outros clubes da cidade de Abadan: Kargar FC e Jam FC. Apaixonados por futebol assim como o povo iraniano, os jogadores da equipe eram muito técnicos e começaram a ser comparados, em suas devidas proporções, com à Seleção Brasileira da Copa de 1970. Originalmente, as cores do clube eram azul, preto e branco.

Fanático pelo Brasil, o presidente do clube na década de 70, Parviz Dehdari, trocou as cores do clube para amarelo, azul e branco em alusão ao uniforme da Seleção Brasileira. Após a mudança, o apelido de 'Brasil do Irã' se consolidou e desde então, os torcedores aderiram às cores da seleção canarinho e levam até bandeiras do Brasil para o estádio.

- O clube, como vocês, sabem se espelha muito na nossa Seleção Brasileira e as pessoas conhecem muito sobre os jogadores que atuaram no passado e sobre a atual seleção. Eles também conhecem os clubes do Rio de Janeiro e São Paulo - disse Vinicius, meio-campista brasileiro do atual elenco do Sanat Naft. O atleta de 33 anos também falou sobre como é atuar no clube.

- Jogar no Sanat Naft é uma experiência muito rica que eu vivi na minha carreira profissional. É um clube que vive fervorosamente a nossa Seleção Brasileira. Como eu sou brasileiro, o carinho que os torcedores da equipe tem comigo é muito grande, eles até tentavam falar português comigo (risos) - completou Vinicius, que jogou os últimos seis meses no time iraniano.

Camisa do Sanat Naft é similar à da Seleção e alguns torcedores levam bandeiras do Brasil (Foto: M. A. Ansari)
Camisa do Sanat Naft é similar à da Seleção e alguns torcedores levam bandeiras do Brasil (Foto: M. A. Ansari)
Foto: Lance!

Bandeiras do Brasil são comuns em jogos do Sanat Naft (M. A. Ansari)

Revelado pelo União São João, o meia se transferiu cedo para Portugal, onde jogou por clubes como Braga, Desportivo Aves e Moreirense. Antes de se juntar ao "Brasil iraniano", Vinicius jogou por cinco temporadas no Chipre, no Apoel, onde teve o melhor momento de sua carreira. No período em que esteve por lá, jogou a Champions League, conquistou cinco vezes o Campeonato do Chipre, além de duas copas nacionais.

- Eu atuei por pouco tempo no Sanat Naft, foi um contrato de apenas seis meses e consegui fazer boas performances por lá. O clube já mostrou interesse em querer renovar meu contrato. Um jogador de futebol tem que analisar todos as possibilidades. Agora vou de férias e pensar em relação a essa possibilidade de volta para o Irã - comentou o brasileiro, que emendou:

- Tive o meu auge da carreira no Apoel jogando a Champions e Liga Europa. Fui campeão 5 vezes do campeonato Cipriota, também joguei em Portugal onde tem um campeonato forte. O meu sono era jogar no meu país, porque sai muito novo para o estrangeiro. Vamos ver se isso acontece, mas senão acontecer, eu estou muito satisfeito com a minha carreira - encerrou o meio-campista.

Pelo Sanat Naft, Vinicius disputou 14 partidas, sendo 13 como titular, somando mais de mil minutos em campo. A equipe do brasileiro encerrou a participação na última edição do Campeonato Iraniano na 9ª colocação, com 37 pontos.

Vinicius, aos 33 anos, em ação pelo Sanat Naft, do Irã (M. A. Ansari)

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade