1 evento ao vivo
Logo do São Paulo
Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

São Paulo

Marcos Guilherme diz não estar com a cabeça boa no São Paulo

Meia-atacante está emprestado pelo Atlético-PR e pode retornar ao Furacão no meio do ano; indefinição tem abalado o jogador, que está em baixa no Tricolor

16 abr 2018
23h35
atualizado em 17/4/2018 às 07h56
  • separator
  • comentários

O meia-atacante Marcos Guilherme não escondeu sua frustração pessoal pelo momento que está passando no São Paulo. Emprestado pelo Atlético-PR ao Tricolor, o jogador acreditava que iria permanecer no clube do Morumbi até o fim desta temporada, mas, na verdade, o vínculo se encerra em junho, com possibilidade de prorrogação até dezembro. A informação foi publicada pelo site Globoesporte.com e confirmada pelo LANCE!

Jogador tem contrato com o São Paulo até junho e não sabe se permanecerá no Tricolor (Érico Leonan/saopaulofc.net)
Jogador tem contrato com o São Paulo até junho e não sabe se permanecerá no Tricolor (Érico Leonan/saopaulofc.net)
Foto: LANCE!

Diante da indefinição de seu futuro e a recente ida para o banco de reservas (o jogador foi titular nesta segunda, mas o São Paulo entrou em campo com time misto), Marcos Guilherme afirmou não estar com cabeça boa para desempenhar seu trabalho e isso o atrapalha no dia a dia.

- Foi o que saiu na imprensa, o contrato vai até junho, mas ficaram acordados mais seis meses. Sinceramente, a minha cabeça não está boa, não estou satisfeito com essa indefinição, mas tenho de seguir. Até antes de sair essa questão do contrato, quando vocês me perguntavam, eu sempre deixava bem claro o meu carinho pelo São Paulo, então, está nas mãos do dirigentes para eles resolveram. Mas fico um pouco chateado, com a cabeça pesado, mas tenho de seguir, o fazendo o meu papel, o restante é com os clubes - afirmou o meia-atacante na zona mista do estádio do Morumbi.

São-paulino de coração, o camisa 23 deixou claro seu desejo de permanecer no Tricolor após o término de seu contrato. Desde que chegou ao clube, no meio do ano passado, o jogador entrou em campo em 43 partidas consecutivas e só perdeu a vaga após a chegada de Diego Aguirre ao Tricolor.

- A minha vontade já passei para todos. Já tive uma conversa com o presidente, com outros dirigentes e mostrei a minha vontade. Agora vai da vontade deles. Dentro do campo eu dei o meu melhor. Vou falar a verdade, eu sei que não sou nenhum craque, mas quando entro ali dentro, não tem bola perdida. Falta técnica, mas raça e vontade nunca vão faltar. Como disse está nas mãos dos dirigentes - concluiu.

Na próxima quinta (19), o São Paulo mede forças com o Atlético-PR valendo vaga nas oitavas de final da Copa do Brasil. No jogo de ida, o Tricolor perdeu, de 2 a 1, e precisa ganhar por dois ou mais gols de diferenças para avançar na competição. Revelado nas categorias de base do Furacão, Marcos Guilherme deve reencontrar sua ex-equipe no Morumbi.

Veja também:

LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade