0

Botafogo e Grêmio empatam no primeiro jogo pela Libertadores

Pelas quartas de final, o Glorioso não conseguiu fazer o gol que gostaria na partida no Nilton Santos

13 set 2017
23h51
atualizado às 23h55
  • separator
  • comentários

A festa foi a que vem se repetindo nesta Copa Libertadores. A torcida não lotou, mas compareceu em bom número e apoiou desde antes de a bola rolar. Mas o Botafogo não saiu do 0 a 0 com o Grêmio, na noite desta quarta-feira, no Estádio Nilton Santos.

A partida desta quarta-feira teve algumas divididas duras (Reginaldo Pimenta / Raw Image)
A partida desta quarta-feira teve algumas divididas duras (Reginaldo Pimenta / Raw Image)
Foto: LANCE!

Apesar de não ter feito valer o mando de campo como gostaria, o resultado permite que, na próxima quarta, em Porto Alegre (RS), um empate com gols classifique o time carioca.

Quem assustou pela primeira vez foi o time visitante. Fernandinho, aos oito minutos, arrancou pelo lado esquerdo e, mesmo marcado, conseguiu chutar. Bola no lado externo da rede.

O Botafogo tomava a iniciativa da partida, mas a primeira chance, um cabeceio efetuado por Matheus Fernandes sem a direção correta, foi só aos 20.
Quatro minutos depois, Arthur faria grande jogada individual e cairia na área. Lance duvidoso, mas o pênalti não foi marcado, para desespero de Renato Gaúcho. Bruno Silva teve nova oportunidade para o Glorioso, aos 30, após cruzamento de Gilson. A finalização, porém, foi sem a direção correta.

A arbitragem voltou ao centro de uma polêmica no início do segundo tempo, quando foi a vez do Botafogo reclamar. Gilson caiu depois de dividir com Edilson. O árbitro voltou a nada apitar.

Chance real mesmo teve Roger, aos 18 minutos. Novo cruzamento, o centroavante dominou e chutou. A marcação chegou antes e salvou. Era o Grêmio esperando e o Botafogo tentando tomar a iniciativa. Mas foi o Tricolor Gaúcho quem ameaçou de maneira contundente. Léo Moura cruzou aos 33, Fernandinho pegou de voleio e Carli precisou salvar de cabeça, em cima da linha. Grande intervenção.

Roger, referência no ataque botafoguense, voltou a ter oportunidade aos 39. Guilherme lhe passou, ele dominou e chutou de esquerda. A bola passou perto, mas para fora do gol de Marcelo Grohe.

As substituições surtiram pouco efeito prático, apesar de terem dado mais volume ao Glorioso e algumas opções para o Tricolor Gaúcho.

Ao final, a torcida visitante foi quem vibrou mais com o resultado. Tanto que, mesmo em menor número, fez um barulho considerável diante dos botafoguenses presentes.

Não tem jeito. Pouco se adiantou. Tudo se resolve em Porto Alegre.

LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade