0

Lesões pesam, time perde intensidade e falha nos pênaltis: a queda do Fla

Com requintes de crueldade, Rubro-Negro cai nas quartas de final da Copa do Brasil. 69 mil rubro-negros viram Diego, Vitinho e Everton Ribeiro perderem pênaltis e a festa atleticana

18 jul 2019
00h57
atualizado às 01h24
  • separator
  • 0
  • comentários

Diante de 69.980 torcedores, o Flamengo foi eliminado em pleno Maracanã, nas quartas de final da Copa do Brasil, com requintes de crueldade. O empate em 1 a 1 - repetindo o placar do jogo da ida, na Arena da Baixada -, levou a decisão para a disputa de pênaltis. Diego, Vitinho e Everton Ribeiro desperdiçaram, e a festa rubro-negra no Rio de Janeiro foi do Athletico, do goleiro e herói Santos.

As falhas nas penalidades foram determinantes, mas o Flamengo apresentou outros problemas durante a partida no Maracanã, Confira a análise abaixo:

Para lamentar: Gabigol marcou, mas não garantiu a classificação do time (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
Para lamentar: Gabigol marcou, mas não garantiu a classificação do time (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)
Foto: Lance!

SANTOS É O CARA!

Santos foi o herói do Athletico (Foto: Eldio Suzano/Photopress)

A classificação do Athletico para a semifinal da Copa do Brasil passou pelas boas defesas do goleiro Santos. Já no tempo regulamentar, o camisa 1 fez defesas importantes em finalizações de Lincoln e Arrascaeta, por exemplo.

A disputa por pênaltis consagrou a atuação do goleiro. Foram duas cobranças defendidas - dos meias Diego e Everton Ribeiro -, além da batida de Vitinho, que cobrou por cima do travessão. Assim, Santos saiu como herói do Athletico.

LESÕES COBRAM SEU PREÇO

Arrascaeta deixou o jogo lesionado (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Além do péssimo aproveitamento na disputa de pênaltis, a queda do Flamengo também passou pelas lesões de Bruno Henrique e Arrascaeta, dos dois principais nomes do time na temporada. O atacante, com uma entorse no tornozelo direito, nem sequer foi relacionado. Em seu lugar entrou o jovem Lincoln.

Mesmo sem o camisa 27, o Flamengo dominou o início da partida, com Arrascaeta sendo o principal construtor das jogadas. Contudo, com uma lesão na coxa direita, o uruguaio deixou o campo aos 13 minutos da primeira etapa. O time sentiu demais a ausência do camisa 14, que foi substituído por Vitinho.

FALTOU INTENSIDADE?

Duelo no Maracanã foi equilibrado (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Na segunda etapa, a equipe do Flamengo não apresentou a intensidade exigida pelo treinador Jorge Jesus. O domínio apresentado antes do intervalo deu lugar ao equilíbrio, com as duas equipes chegando à área adversária com perigo. O gol atleticano levou a decisão para os pênaltis e a sensação é de que o time da Gávea não teve vigor físico para manter o desempenho dos 45 minutos inciais.

PRESSÃO VAI AUMENTAR!

Jorge Jesus no comando do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

O Rubro-Negro agora trabalhará em duas frentes no segundo semestre: Copa Libertadores e Campeonato Brasileiro. A pressão será grande em cima dos jogadores e Jorge Jesus. O Flamengo está na terceira posição da tabela do Brasileirão e, na próxima quarta, inicia o confronto das oitavas de final da Liberta. O adversário é o Emelec, do Equador, no Estádio George Campwell.

AGORA É O GRÊMIO!

Atleticanos comemoram (F: Magalhães Jr/PHOTOPRESS/Lancepress!)

Classificado para as semifinais da Copa do Brasil, o Athletico já sabe qual será o adversário na próxima fase do torneio: o Grêmio, do técnico Renato Gaúcho. O Tricolor eliminou o Bahia, também nesta quarta-feira, após vencer por 1 a 0 na Arena Fonte Nova, em Salvador. Na ida, empate em 1 a 1 em Porto Alegre.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade