1 evento ao vivo

Justiça obriga Fla a depositar parcela por Arrascaeta

Time carioca terá de fazer o pagamento em conta judicial por uma ação movida por um dos patrocinadores do Cruzeiro

27 ago 2019
21h02
atualizado às 23h12
  • separator
  • 0
  • comentários

Um dos parceiros comerciais do Cruzeiro, o Supermercados BH, moveu uma ação contra o clube mineiro intimando o Flamengo a depositar em juízo os valores das parcelas que restam pela compra do meia Arrascaeta, ocorrida no início deste ano.

Arrascaeta já deixou a Raposa, brilha no Flamengo, mas ainda gera contratempos para o Cruzeiro-(Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)
Arrascaeta já deixou a Raposa, brilha no Flamengo, mas ainda gera contratempos para o Cruzeiro-(Vinnicius Silva/Cruzeiro E.C.)
Foto: LANCE!

A empresa supermercadista conseguiu uma liminar para que o clube carioca deposite em juízo o dinheiro que caberia ao cruzeiro. A decisão dada pela juíza Soraya Hassan Baz Láuar, da 1ª Vara Civel da Comarca de Belo Horizonte, disse que 25% do montante da negociação feita pelo clube deve ser repassada ao BH.

Na mesma liminar a juíza decidiu que Cruzeiro e Flamengo mostrem as documentações relativas à transferência de Arrascaeta. A Raposa ainda pode recorrer da decisão. O Cruzeiro não quis comentar sobre o assunto.

Em janeiro de 2019, o Cruzeiro vendeu 75% dos direitos econômicos de Arrascaeta para o Flamengo por 18 milhões de euros (R$ 79,5 milhões), sendo que a Raposa ficou com 13 milhões de euros (R$ 55,25 milhões), por ter 50% dos direitos econômicos do jogador.O time mineiro recebeu a primeira prestação, de 7 milhões de euros (R$ 29,75 milhões), em janeiro, com as outras parcelas agendadas para junho, já paga e a última parcela será quitada em dezembro de 2019 Esta última parcela será depositada em juízo por ordem judicial.

Motivo da ação do Supermercados BH

O Supermercados BH sempre foi um parceiro do Cruzeiro, seja com patrocínios, seja com ajuda para contratação de jogadores. A empresa ajudou a Raposa na compra do uruguaio junto ao Defensor-URU, em janeiro de 2015, arcando com metade dos 4 milhões de euros (cerca de R$ 12 milhões por 50% dos direitos econômicos).

A outra metade seria paga pelo clube mineiro, que ainda deve ao Defensor, que levou a cobrança para a FIFA, ganhando em duas instâncias da Raposa, que tem 30 dias para quitar 1,5 milhão de euros(cerca de 4 milhões de reais), evitando sanções administrativas e esportivas. O clube recorreu e a decisão final deve ser conhecida no fim de 2020.

Veja também:

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade