0
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Justiça de Andorra solicita extradição de Ricardo Teixeira

Juíza determina que ex-presidente da CBF seja investigado e julgado por suspeita de lavagem de dinheiro no país. Valores de propina chegariam a cerca de R$ 32 milhões

13 mar 2018
14h24
atualizado às 14h27
  • separator
  • comentários

As investigações sobre Ricardo Teixeira ganharam novos desdobramentos. De acordo com informações divulgadas pela Folha de S.Paulo , a juíza Canòlic Mingorance solicitou a extradição do ex-presidente da CBF para Andorra.

Teixeira também é investigado na Espanha (Acervo)
Teixeira também é investigado na Espanha (Acervo)
Foto: LANCE!

Atualmente, a magistrada é responsável por avaliar um suposto envolvimento de Teixeira em um processo de lavagem de dinheiro, em processo no qual também está incluído o ex-presidente do Barcelona, Sandro Rosell. Segundo Mingorance, o ex-dirigente da CBF é suspeito de ser membro ativo da rede internacional.

No despacho assinado no início deste mês, a juíza diz que Teixeira teria lavado em Andorra mais de 8 milhões de euros (cerca de R$ 32 milhões) vindos de propina por venda de direitos para jogos de Seleção Brasileira. A Constituição do Brasil não permite extradição de brasileiros (à exceção de naturalizados) em caso de crime comum, ou comprovado em envolvimento ilícito de tráfico e entorpecentes.

O ex-dirigente da entidade máxima de futebol no Brasil também é acusado em território espanhol por lavagem de dinheiro. A Justiça da Espanha afirma que Teixeira e sua ex-mulher tinham cartões de créditos bancados pela Uptrend, empresa de Rosell nos Estados Unidos. Segundo os investigadores, em cada jogo da Seleção Brasileira, a ISE, dona dos direitos das partidas, repassava uma quantia para a Uptrend.

O ex-presidente do Barcelona está detido em Madri desde maio de 2017. Rosell também é acusado de participar do esquema de lavagem de dinheiro.

LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade