0

Jorge Jesus revela tática que trouxe do basquete ao futebol: 'Você vê várias equipes a fazer'

Em entrevista ao canal do Zico, no Youtube, o técnico do Flamengo relembrou a sua trajetória em Portugal e comentou a utilização do árbitro de vídeo do futebol

25 mar 2020
19h12
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Além da carreira construída em seu país e os trabalhos vitoriosos por Flamengo e Benfica, Jorge Jesus costuma ressaltar o fato de ter desenvolvido a própria metodologia de treinos e estilo de jogo ao longo dos anos. Em entrevista ao "Canal Zico 10", no Youtube, o treinador português revelou que implementa em seus times táticas e aprendizados que trouxe de sua experiência no basquete.

- Adoro basquete. Fiz vários estágios com treinadores de basquete em Portugal e trouxe (aprendizados) para futebol - afirmou ao ex-meia Zico, antes de seguir:

O português Jorge Jesus no comando do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
O português Jorge Jesus no comando do Flamengo (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Foto: Lance!

- Há 10, 15 anos, trouxemos os bloqueios para o futebol. Os tirei do basquete. Hoje você vê várias equipes a fazer. O VAR, agora, vai condicionar um pouco, mas pode-se fazer. No futebol pode haver contato. É uma questão de saber fazer - explicou Mister, treinador desde 1989/90.

Com a suspensão dos jogos e treinos do Flamengo por tempo indeterminado por conta da pandemia do coronavírus, o técnico Jorge Jesus retornou a Portugal na última semana, assim como os membros de sua comissão técnica. A entrevista dada ao ídolo Zico foi concedida no Ninho do Urubu, no dia 13.

Campeão da Libertadores, Brasileiro, Recopa Sul-Americana e Supercopa do Brasil, o Mister é ídolo da Nação e recebeu os agradecimentos também de Zico.

- Nós, como rubro-negros, somos muito gratos por tudo o que você tem feito aqui, pela forma como tem tratado o clube e acho que você tem recebido o retorno da grande torcida do Flamengo - afirmou o maior ídolo do Flamengo.

Confira outras respostas de Jorge Jesus na entrevista ao "Canal Zico 10":

Esquema de jogo preferido
Nos meus primeiros 10 anos de treinador joguei no 3-4-3. Ao longo dos anos, fui mudando e hoje está uma ideia um pouco diferente, sem dizer que abandonei essa ideia de jogo. É a que mais gosto, mas é a mais difícil de treinar e jogar.

O árbitro de vídeo no futebol
Gosto. O VAR é importante para a verdade esportiva, mas, na minha opinião, há coisas no VAR que precisam ser mudadas. Uma coisa que para mim terminava é que o VAR tenha que qualificar uma jogada que foi na tua grande defensiva e você chega na área adversária e faz o gol, mas não vale por uma jogada lá atrás. O que temos que dizer: o VAR só vai ser responsável nas últimas três ou quatro ações do jogo. Não o que aconteceu atrás há um minuto.

Carreira até chegar no Benfica
Quando entrei no Benfica, vindo do Braga, já tinha feito dois bons anos no Belenenses. É uma equipe carismática em Portugal, considerada a quarta maior equipe do país. Hoje já não é. Fomos à final da Supercopa. E, então, fui ao Braga, fizemos outro grande campeonato. E, então, o Benfica me contrata e fico seis anos. No meu primeiro ano, criamos uma equipe muito parecida com as características do Flamengo. Muito forte. Tinha três brasileiros. Minha zaga era Luisão e David Luiz e Júlio César. A linha de frente tinha Dí María, Cardozo e Saviola, Ramíres e Aímar. Aímar foi o melhor jogador que eu treinei. E meu primeiro volante era o JavíGarcía, o espanhol que depois vendemos ao Chelsea. Fomos às quartas da Champions.

Veja também:

Editor do L! analisa retorno de Fred ao Fluminense
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade