0

Italianos reverenciam 'Bebo', campeão mundial com a Itália em 98

'Gazzetta dello Sport' divulga texto no qual recorda passagem de Bebeto de Freitas em solo italiano. E, em nota, Federação de Vôlei da Itália lamenta sua saída de cena

13 mar 2018
18h36
atualizado às 18h51
  • separator
  • comentários

A morte de Bebeto de Freitas rendeu homenagens também na Itália, onde o ex-treinador fez história com a seleção masculina de vôlei, campeão mundial de 1998. Gian Luca Pasini, jornalista da "Gazzetta dello Sport", escreveu o seguinte texto em reverência ao brasileiro que morreu nesta terça, aos 68 anos:

Bebeto de Freitas fez história na seleção italiana (Foto: Acervo Lance!)
Bebeto de Freitas fez história na seleção italiana (Foto: Acervo Lance!)
Foto: LANCE!

"Paulo Roberto de Freitas, que era conhecido apenas como Bebeto. Era, porque o treinador que escreveu seu nome como o mais recente campeão do Mundial de Vôlei pela Itália (em 1998, em Tóquio) nos deixou nesta tarde de terça-feira, quando trabalhava no Atlético-MG.

O futebol foi a última fronteira de "Bebo", como era conhecido em Parma, de onde havia levado ao sucesso o Maxicono, no início da década de 1990, após obterem os títulos nacionais.

Depois de uma brilhante carreira como jogador, começou sua trajetória como treinador. Em 1984, guiou o Brasil à sua primeira medalha olímpica, a prata (nos jogos boicotados de Los Angeles) e depois de quatro anos, ficou em quarto com a Seleção em Seul.

Anos depois, tinha um desafio maior. O último compromisso antes de chegar à nossa Liga, de onde vieram conquistas de ligas e Copas. Foi quando recebeu o de Carlo Magri (seu presidente, tanto no Maxicono quanto na Itália) a incumbência de comandar a Azzurra.

Cargo que havia aceitado com entusiasmo e comandou com sucesso, com a vitória na Liga Mundial de 1997 e um bronze europeu. Um ano depois, conquistaria o Mundial de 1998, em Tóquio.

Naquele ano, teve um desafio muito forte: no comando da Itália, enfrentar o Brasil, onde já fizera história. Após uma partida eletrizante, com direito à ida para o tie-break, a Azzurra garantiu sua ida para a decisão, em uma vitória por 3 sets a 2.

A medalha de ouro italiana chegou no dia seguinte, quando a seleção derrotou a Iugoslávia por 3 sets a zero. Bebeto de Freitas saiu de lá eleito melhor técnico do Mundial de Vôlei."

Nesta terça-feira, a Federação Italiana emitiu no Twitter o pesar pela saída de cena. Via Twitter, a Federvolley afirmou "O voleibol mundial lamenta o adeus de Bebeto".La pallavolo mondiale piange la scomparsa di #Bebeto
😥👉 https://t.co/xUxfIzndEJ pic.twitter.com/Fj9XYULxgi

LANCE!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade