PUBLICIDADE

Governo do Rio discute reforma do Célio de Barros para reabri-lo em 2017

14 set 2015 - 16h23
Ver comentários

O secretário estadual de Esportes do Rio, Marco Antônio Cabral, revelou nesta segunda-feira que existe um planejamento para formulação, em parceria com a concessionária que administra o Complexo Maracanã, de um projeto de reconstrução do estádio de atletismo Célio de Barros.

Marco Antônio Cabral, secretário de Esporte do Rio
Marco Antônio Cabral, secretário de Esporte do Rio
Foto: Divulgação

Com exceção de um bloco de arquibancada, o local foi destruído para a criação de um espaço que pudesse abrigar as estruturas temporárias de transmissão de TV da Copa do Mundo e atualmente é um estacionamento.

- Estamos buscando viabilizar para o primeiro semestre do ano que vem o projeto básico do Célio de Barros para que tenhamos, com isso pronto, uma facilitação para as obras após os Jogos Olímpicos. Temos que contratar quem vai fazer a obra em agosto ou setembro para iniciar em outubro ou novembro - disse o filho do ex-governador do Rio.

Segundo o secretário de Esporte, a ideia inicial é que a concessionária do estádio assuma os custos, mas o governo está preparado para dar suporte.

- Quem vai bancar é a concessionária. Mas o governo tem que ter isso como prioridade. Se ela não conseguir cumprir, o governo vai realizar. Não tenho noção de tempo de obra certo, mas quero reabrir no primeiro semestre de 2017 - completou, explicando ainda o motivo de ter o local como prioridade em relação ao parque aquático Júlio Delamare:

- Temos pouco espaço de atletismo no estado e piscina tem muito mais. Para atletismo, são poucas. Ele precisa de atenção especial, não temos muitos medalhistas. Primeiro vem o Célio de Barros, depois vem o Júlio Delamare. Os valores não estão definidos. No Célio de Barros, teremos que fazer uma pista nova e custa cerca de R$ 2 milhões. No Júlio Delamare, o que precisa é uma reforma para adequar o equipamento para a realização das provas.

Marco Antônio Cabral ainda pontuou que não há previsão para assinatura de um outro contrato com a concessionária, mas isso não vai atrapalhar a operação dos equipamentos esportivos.

- Não houve nada no sentido da saída dela. Não é do interesse do estado voltar com o Maracanã para ele - finalizou.

O Maracanã será usado nos Jogos Rio-2016, mas ainda não há confirmação da data de fechamento.

Lance!
Publicidade
Publicidade