0

Gabriel Medina também fez manobra polêmica contra Slater em Pipeline

Norte-americano já estava surfando na onda, mas o brasileiro aproveitou que tinha a prioridade para bloquear avanço; Depois de ser eliminado, maior campeão mundial criticou

21 dez 2019
13h08
atualizado às 13h11
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Gabriel Medina gerou polêmica, na última quinta-feira, após entrar na frente de Caio Ibelli, que tinha a prioridade na onda, em Pipeline - última etapa do Circuito Mundial de surfe - e posteriormente foi punido por interferência. Mas não foi a primeira vez que o brasileiro fez isso. Em 2017, também no Havaí, Medina tinha a prioridade, porém Kelly Slater já estava surfando na onda e poderia ultrapassar na soma dos pontos. No momento que Medina viu a onda ser formando, impediu o avanço do adversário.

Após a derrota na bateria, o maior campeão mundial, Kelly Slater, usou as redes sociais para comentar a polêmica e citou um trecho de um capítulo do livro de regras da Liga Mundial de Surfe, referente a interferências antidesportivas.

- Pode-se dizer que um surfista com prioridade cometeu interferência se na opinião do head judge (juiz) o surfista utiliza sua prioridade de forma antiesportiva ou não competitiva, para bloquear intencionalmente outro surfista com menor ou sem prioridade fora da zona primária do drop - escreveu.

Por fim, o norte-americano sugeriu que os juízes 'poderiam ter decidido por uma interferência de bloqueio' para Medina e negou que tivesse algum ressentimento com o brasileiro. Vale lembrar que depois de passar pelo americano, Medina foi eliminado pelo francês Jeremy Flores nas quartas.

- Gabriel Medina tinha direito de usar sua prioridade, mas seguiu reto e até para a esquerda em uma boa direita. Os juízes poderiam ter decidido por uma interferência de bloqueio. Eu entendo que ele estava indo para o título e tinha que fazer tudo o que era necessário para vencer cada bateria. Bom pra ele. Sem nenhum ressentimento. Eu achei engraçado mais do que qualquer coisa - disse.

CAIO IBELLI: "ELE JOGA SUJO"

O momento exato em que Gabriel Medina impede avanço de Kelly Slater (Foto: WSL/Divulgação)
O momento exato em que Gabriel Medina impede avanço de Kelly Slater (Foto: WSL/Divulgação)
Foto: Lance!

Caio Ibelli e Medina na disputa em Pipe (Foto: Reprodução/Instagram)

Caio Ibelli não ficou atrás de Slater. Ele também criticou a postura de Gabriel Medina depois da prova. O compatriota ressaltou que Medina fez jogo sujo e afirmou que nunca viu isso antes.

- Eu acho que nunca vi isso antes. E isso mostra o tipo de competidor que ele é. Ele joga duro, ele joga sujo se precisar e faz de tudo para vencer. É assim que deve ser a mente de um campeão. Eu estou motivado, vou treinar mais duro, estudar mais, e na próxima vez, quero vencê-lo - disse.

No entanto, mais calmo depois da situação, Caio Ibelli por meio de seu Instagram amenizou a polêmica e desejou sorte para os dois brasileiros, Medina e Ítalo Ferreira, que foram para a final da competição.

- É uma história de amor. Uma das únicas baterias sem onda, mar difícil. Isso só me da mais vontade de ganhar, dele. Boa sorte Italo e Gabriel, vai ser irado ver o título mundial ser decidido hoje e que vença o melhor. Vai Brasil. - amenizou.

Gabriel Medina, que venceu John John Florence na sequência, deu a sua versão do fato.

- Eu sabia que uma interferência iria me dar a vitória. Eu não sei (se Caio faria o resultado na última onda). Mas eu apenas tenho que jogar o jogo. Na minha cabeça, eu sabia o que fazer. É como eu falei, está na regra - comentou Medina.

Apesar das polêmicas, foi o Brasil que subiu ao lugar mais alto do pódio. Ítalo Ferreira faturou pela primeira vez o troféu e Gabriel Medina ficou com o vice-campeonato, mas poderia ser tricampeão.

Veja também:

Seleção feminina ganha camisas sem estrelas do masculino
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade