0

Fluminense inicia maratona que pode terminar com nove jogos em março

Caso o tricolor vá até a final da Taça Rio, pode realizar nove partidas em apenas um mês; competições são Taça Rio, Sul-Americana e Copa do Brasil

1 mar 2019
07h04
atualizado às 07h05
  • separator
  • 0
  • comentários

No último mês antes da estreia no Campeonato Brasileiro, o Fluminense promete ter dias agitados pela frente. A equipe de Fernando Diniz pode chegar a entrar em campo nove vezes em 31 dias, caso vá para a semifinal da Taça Rio. Neste período, o Tricolor jogará por três competições diferentes: o segundo turno do Carioca, a Copa do Brasil e a Sul-Americana. A maratona começa já nesta sexta-feira, contra o Resende, em Bangu. A partida, às 16h, tem transmissão em tempo real do LANCE!.

Ganso entrará em campo contra o Resende (Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)
Ganso entrará em campo contra o Resende (Foto: LUCAS MERÇON / FLUMINENSE F.C.)
Foto: Lance!

Depois do jogo desta sexta, o Tricolor recebe o Ypiranga no Maracanã e volta a jogar no estádio para encarar a Cabofriense. Boavista, fora, e Botafogo, em casa, antecedem a viagem ao Chile para encarar o Antofagasta. Antes das semifinais e finais da Taça Rio, o Tricolor ainda encara o Flamengo.

Apesar dos poucos deslocamentos, com apenas uma viagem de longa distância até o momento, o desgaste será grande. Em comparação ao time adversário na Sul-Americana, por exemplo, o Fluminense fará cinco partidas até o dia 21, enquanto os chilenos tem apenas dois jogos.
- A quantidade de jogos que fazemos no Brasil não é bem vinda para ninguém. Temos um jogo decisivo da Copa do Brasil e deve ser difícil. É uma vantagem que o Antofagasta tem de jogar menos partidas - avaliou o técnico Fernando Diniz após o confronto da última terça.

Para o jogo contra o Resende, Diniz terá algumas mudanças em sua equipe. Podendo contar com Ganso, ele tem Airton, Bruno Silva e Digão suspensos. Na posição do zagueiro, o confronto deve marcar a estreia de Léo Santos, reforço contratado junto ao Corinthians. A tendência é que o treinador precise utilizar mais os jogadores reservas durante para preservar o elenco para a parte decisiva do mês, com decisões da Taça Rio e a volta da Sul-Americana.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade