0
Logo do Botafogo
Foto: terra

Botafogo

Erik se atenta ao Z4, mas olha para cima no Bota: 'Buscar coisas grandes'

Glorioso procura se afastar mais da zona de rebaixamento, mas o atacante alvinegro pensa nos lados positivos, como a própria invencibilidade em casa, para o time subir na tabela

25 set 2018
18h36
  • separator
  • comentários

As duas vitórias seguidas no Campeonato Brasileiro levaram o Botafogo à 12ª posição de uma competição ainda muito embolada. A reta final se aproxima e o Glorioso ainda olha com precaução para os quatro pontos que lhe afastam da zona de rebaixamento. Porém, por mais que ainda falte muito para a equipe se consolidar na parte de cima, o atacante Erik pensa alto.

O atacante Erik foi o grande personagem da última partida, contra o Vitória (Foto: Vitor Silva / SS Press / BFR)
O atacante Erik foi o grande personagem da última partida, contra o Vitória (Foto: Vitor Silva / SS Press / BFR)
Foto: Lance!

- Nós estamos em 12º, mas temos sempre que buscar grandes coisas. Se pensarmos num jogo... empatar nunca fez parte. Temos que pensar em vencer e em fazer um grande jogo. Temos que ir passo a passo, pensando lá em cima. Claro que tem a proximidade da parte de baixo, mas sempre pensando em coisas grandes - explica o atacante.

Essas "coisas grandes" passam, naturalmente, por resultado de vitória no próximo domingo, em casa. Por mais que o adversário seja o São Paulo, líder do campeonato. Mas Erik, que se tornou um dos principais jogadores da equipe, avisa que está com bom retrospecto.

- Desde que cheguei, só tivemos resultados positivos em casa. No intervalo, eu falei: "Vamos pensar positivo, vamos torcer um pelo outro." Conseguimos virar lá (contra o Vitória). Vamos trabalhar forte, pensar no São Paulo, mas na gente também, no nosso melhor - avaliou o atacante.

Vinculado ao Palmeiras e com empréstimo repassado pelo Atlético-MG, Erik venceu três jogos no Nilton Santos e empatou um desde que chegou. Na última partida, foi o grande personagem, com gol, assistência e a polêmica do gol perdido quando Rodrigo Pimpão e Brenner estavam desmarcados.

- Eu tomei uma decisão, não fujo de responsabilidade. Vim de uma infância humilde, com muitos desafios. Significou muito para mim também a partida, mas eu fiz uma escolha - minimizou o atacante.

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade