1 evento ao vivo

Equipe feminina do Cruzeiro treina com apenas oito jogadoras por causa do surto de Covid-19 no elenco

O técnico Marcelo Frigério tem "se virado" para trabalhar com a Cabulosas, que tem 10 atletas sem condições de treinar no momento

27 nov 2020
19h49
atualizado às 19h49
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O time de futebol feminino do Cruzeiro segue tentando driblar os desafios para conseguir fazer sua segunda partida pelo Campeonato Mineiro 2020. Na semana passada o elenco cruzeirense contabilizou 10 atletas com teste positivo para a Covid-19, e com isso a direção da equipe teve que solicitar à FMF o adiamento do jogo contra o Atlético-MG, que seria no último sábado. Agora, o grupo bastante reduzido segue com sua preparação, visando ao confronto contra o América, marcado para a próxima terça-feira, 1º de dezembro, às 15h, no Sesc Venda Nova.

Marcelo Frigério, o Tchelo, tem um grupo reduzido por conta da Covid-19-(Diulgação/Cruzeiro)
Marcelo Frigério, o Tchelo, tem um grupo reduzido por conta da Covid-19-(Diulgação/Cruzeiro)
Foto: Lance!

As Cabulosas vêm realizando seus treinos diários na Toca 1, e o técnico Marcelo Frigério, o Tchelo, tem feito um trabalho de condicionamento, já que conta com apenas oito atletas para as atividades: Camila Menezes e Ana Júlia, Vanessinha, Evellyn, Pires, Thamirys, Patrícia e Jajá. Além das 10 jogadoras com Covid-19, e a goleira Mary Camilo se recuperando de lesão, outros dois desfalques são Duda e Micaelly, que estão convocadas para a Seleção Brasileira Sub-20. A expectativa é de que as duas retornem para ajudar o grupo na terça-feira, no dia do jogo contra o América.

Tchelo concedeu uma entrevista que será exibida no canal do Cruzeiro no Youtube e destacou os desafios do grupo neste momento.

O COMEÇO DO MINEIRO

-A gente tinha uma expectativa totalmente diferente para o começo deste campeonato. Não imaginávamos que o time ia passar por essa situação. Mudou totalmente, mas isso afetou várias outras equipes, do futebol masculino e feminino, porque a Covid está aí. A gente tinha uma expectativa de dar sequência após a reta final do Brasileiro. Estamos invictos desde que eu cheguei, então estávamos motivados com isso, de dar sequência neste final de ano. Lógico, respeitando todos os adversários, mas com o foco de ser campeão Mineiro. A gente não perdeu este foco, mas sabemos que vai ser mais difícil, devido aos problemas que estamos vivendo. Mas nosso objetivo é contornar tudo isso e chegar ao título.

TREINO COM GRUPO REDUZIDO

-Como o elenco está muito reduzido, acaba prejudicando o nosso planejamento. No primeiro jogo em Ipatinga fomos para o sacrifício com 11 jogadoras e depois apareceu mais um caso. Estamos tendo que nos reinventar, pois estamos treinando com oito atletas, seis de linha e duas goleiras. Vamos aproveitando para condicionar essas jogadoras, com treinos com bola e apurando os conceitos. O que a gente não pode é abaixar a cabeça, porque é nessas dificuldades que a gente valoriza mais as vitórias.

UNIÃO DO TIME

-O grupo é muito jovem, e elas são bem unidas. E essas dificuldades acabam por unir o grupo mais ainda. Todas estão tentando se ajudar, preocupadas com aquelas que estão machucadas e com a Covid. Nesse momento a gente não tem nem o número suficiente de jogadoras para um jogo. Então esperamos que essas atletas voltem logo. Após o médico liberar elas vão passar por uma transição rápida com o preparador físico e esperamos que elas não tenham nenhuma sequela da doença. Vamos neste espírito de solidariedade e união para passar por este momento difícil. Vamos ter que usar estratégia de jogo e muita união. Acho que esta é a fórmula para as próximas partidas.

Veja também:

Reta final da temporada traz mais incertezas para os clubes brasileiros
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade