0

Enderson é apresentado e quer o Cruzeiro forte no centenário

O novo treinador da Raposa falou oficialmente pela primeira vez como técnico cruzeirense

26 mar 2020
15h36
atualizado às 15h58
  • separator
  • 0
  • comentários

Apresentado à distância pelo Cruzeiro, devido à recomendação de isolamento por causa do coronavírus, o técnico Enderson Moreira concedeu as primeiras palavras como novo comandante celeste. Em uma entrevista de meia hora, aproximadamente, o treinador falou do perfil de reforços que busca para o clube, priorizando a qualidade dos que serão contratados, e admitiu que, pelo cenário em que se encontra a Raposa, não terá um caminho fácil, mas que acredita que poderá alcançar o principal objetivo no ano: a volta à elite nacional.

"Sei muito bem quando o clube gigante como o Cruzeiro participa da competição, todos sabem da responsabilidade de voltar e voltar sem sustos e, principalmente, que possa aproveitar o momento, de reconstrução, de buscar nova direção, que as coisas possam acontecer de forma diferente. E que a gente possa resgatar o jogo do Cruzeiro. Que o torcedor tenha orgulho de ver o time que o represente em campo. Essas são as nossas responsabilidades. Sei muito bem daquilo que me espera, das cobranças, do que está por vir. Tenho consciência que não vai ser fácil. Mas o trabalho conjunto, junto do conselho gestor, tenho expectativa enorme para que a gente possa que o ano de reconstrução possa marcar os próximos anos do Cruzeiro."

Enderson Moreira falou pela primeira vez como técnico do Cruzeiro. O novo comandante da Raposa foi apresentado oficialmente na Toca da Raposa, mas de longe, via transmissão online, já que a imprensa não pode ter acesso ao CT cruzeirense por conta das precauções contra a pandemia de coronavírus.

O novo técnico celeste comentou sobre o time, reforços e também da saída do Ceará, que está na primeira divisão, fazia uma campanha invicta no Estadual e Copa do Nordeste, para assumir o clube mineiro.

Um dos motivos para aceitar o convite, segundo Enderson, foi a projeção que o Cruzeiro o deu no futebol após conquistar o título da Copa São Paulo de Futebol Júnior em 2007. E, neste momento, aceitar treinar a Raposa seria negar um chamado de quem o ajudou muito na carreira.

Enderson Moreira assume a Raposa para tentar levar o time de volta à Série A do Brasileiro-(Divulgação/Cruzeiro)
Enderson Moreira assume a Raposa para tentar levar o time de volta à Série A do Brasileiro-(Divulgação/Cruzeiro)
Foto: LANCE!

 

"O Ceará estava vivendo um momento de ascensão, ainda está invicto na temporada. Por isso, foi uma decisão muito difícil, muito complicado. Mas o Cruzeiro é um gigante do futebol brasileiro, a gente sabe do momento difícil que o clube está passando. Conselho gestor está fazendo um grande sacrifício, está tentando de todas as formas dar qualidade de trabalho ao time profissional, fazendo com que essas coisas possam funcionar muito bem. Que a gente não perca a grandeza do Cruzeiro. E eu também tenho uma história no Cruzeiro, que foi um divisor de águas na minha vida, na minha vida profissional, quando ganhamos em 2007 a Copinha. Tive um reconhecimento nacional que foi determinante para eu ter boas oportunidades. Um chamado do Cruzeiro é um chamado para o lado emocional, de devolver, retornar para o Cruzeiro o que ele me proporcionou profissionalmente." 

Enderson Moreira já estava trabalhando com a diretoria de futebol e do clube para avaliar a necessidade de reforços, apesar das dificuldades encontradas pela parada no futebol. Todavia, ele não quis citar em quais posições acha que há necessidade de reforços.

"Já passei ideias que tenho, jogadores com perfil interessante. Não quero trazer jogadores que tenham perfil apenas para uma Série B, quero trazer jogadores com perfil da Série A, que possam participar muito bem de uma Série B, é importante que a gente tenha esse perfil de Série A. Não podemos perder esse perfil. Espero que a gente possa fazer os ajustes que precisam fazer ser feitos. Tem muito atleta que vai entrar em forma ainda, que teve uma começo de temporada difícil, com lesão, ou falta de treinamento ou que chegou depois do trabalho já iniciado. Tem muita coisa para caminhar e crescer", disse.

Enderson comentou que quer trazer o DNA do Cruzeiro e que está avaliando o grupo celeste que terá nas mãos.

"Estou avaliando o elenco. Temos um tempo razoável para assistir aos jogos, assistir em câmara aberta, para ter visão questão tática. Já tenho noção boa de alguns atletas, temos jovens que carecem um pouco mais de convívio, para poder conhecê-los, entender as características dos atletas. Precisamos trabalhar a equipe, colocar as peças para encaixar de maneira harmoniosa, que é o grande segredo do futebol (...) a gente sabe da dureza do campeonato, A Série B é um campeonato difícil. Não pode criar expectativa que as cosias vão acontecer naturalmente, que vem acontecer com facilidade. Mas acredito que possa entregar uma equipe para atender as expectativas. Sei a proporção, espero contar com ajuda dos clubes, do conselho, comissão e torcedor. Teremos ainda momentos dificuldades na temporada. Mas tenho convicção que poderemos dar resposta boa. E em 2021 possa entrar com perspectiva. Que o Cruzeiro possa celebrar o centenário da melhor forma possível", concluiu.

 

Veja também:

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade