3 eventos ao vivo

Emanuel é nomeado novo chefe do setor antidoping do governo federal

Campeão olímpico em Atenas no vôlei de praia aguardava a oficialização há três meses

23 abr 2019
17h30
atualizado às 17h55
  • separator
  • comentários

Campeão olímpico em Atenas-2004, ao lado de Ricardo, o ex-jogador de vôlei de praia Emanuel foi nomeado nesta terça-feira o novo secretário da Autoridade Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), entidade ligada à Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania. Ele havia recebido o convite há três meses e, desde então, aguardava a publicação no Diário Oficial.

Emanuel no evento "Jogo Limpo" da Secretaria Especial de Esporte (Foto: Francisco Medeiros/Ministério da Cidadania)
Emanuel no evento "Jogo Limpo" da Secretaria Especial de Esporte (Foto: Francisco Medeiros/Ministério da Cidadania)
Foto: Lance!

- Foi uma satisfação receber o convite para a ABCD. Eu tenho uma experiência muito grande em relação a isso, vivenciei esse controle durante muitos anos da minha carreira", comentou o curitibano de 45 anos, que completou:

- Eu sei o quanto é importante para a história do atleta ser um atleta limpo, e também sei as dificuldades que a gente tem em manter isso mais claro para todos eles. Acho que essa é uma das missões - afirmou Emanuel, que parou de jogar em 2016.

O ex-jogador, que também foi medalhista de bronze em Pequim-2008 e de prata em Londres-2012, teve a oportunidade de compartilhar no ano passado a experiência com jovens atletas, quando participou como modelo de referência dos Jogos Olímpicos da Juventude, em Buenos Aires, na Argentina.

Ele também já integrou diversas comissões de atletas, inclusive na Agência Mundial Antidoping (Wada, na sigla em inglês), onde teve um contato ainda mais próximo com o controle de dopagem.

- Ali eu aprendi bastante como a gente pode se comunicar e como o atleta pode contribuir no processo. Acho que esse também vai ser um dos pilares da ABCD: tentar trazer os atletas para contribuir nesse processo todo - aponta o maior vencedor de etapas do Circuito Mundial, com 77 medalhas de ouro, e jogador com mais títulos na história do vôlei de praia, somando 155 conquistas.

A nomeação de Emanuel, que é casado com a ex-jogadora de vôlei Leila, senadora pelo PSB-DF, acontece em meio à mudanças na Secretaria Especial de Esporte. Nesta semana, o general Marco Aurélio Vieira foi exonerado, após discordâncias com o ministro da Cidadania, Osmar Terra. O cargo ficou com o general Décio dos Santos Brasil.

O campeão olímpico acredita que o fato de ter sido atleta será um fator positivo na aproximação do tema de sua secretaria com os esportistas.

- Sendo regido por um outro atleta, você já entende que tem uma proximidade. Acho que a minha missão é trazer um pouco desse olhar que eu sempre tive durante os anos com relação aos atletas para que eles possam entender que tem uma pessoa que sabe o que eles estão passando, sabe o que eles passaram na carreira deles e sabe o que pode acontecer. Fico muito satisfeito de poder ajudar. Minha carreira toda eu tentei dar um viés de credibilidade para chegar neste momento e contribuir de uma outra forma. Eu acredito que os atletas, vendo um atleta nesse tipo de gestão, podem ficar mais à vontade e pensar somente em competir e no futuro deles - disse Emanuel.

Nas últimas semanas, também foram oficializadas outras duas nomeações na Secretaria Especial do Esporte. O ex-jogador de futebol Washington "Coração Valente" foi o escolhido para a Secretaria de Esporte e Lazer. Já Ronaldo Lima ficou com a Secretaria Nacional de Futebol e Defesa dos Direitos do Torcedor. O pastor João Manoel Santos Souza deve ser nomeado em breve para a Secretaria Nacional de Esporte de Alto Rendimento.

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade