1 evento ao vivo

Na estreia do novo uniforme, Palmeiras vence na Copinha

Em Capivari, com gramado castigado pela chuva, time alviverde superou o campo e o desfalque de sete atletas

3 jan 2019
23h32
atualizado em 4/1/2019 às 07h18
  • separator
  • comentários

Esta quinta-feira marcou a estreia do novo uniforme do Palmeiras, feito pela Puma, e também a primeira partida do clube na Copa São Paulo de Futebol Júnior. E veio com vitória, apesar do gramado prejudicado pela chuva da Arena Capivari. Diante do Galvez, do Acre, o time, desfalcado por sete jogadores que disputarão o Sul-Americano sub-20, o time alviverde venceu por 2 a 0.

Na busca pelo inédito título da tradicional competição das categorias de base, o Palmeiras não poderá contar com Papagaio, Vitão, Alan, Gabriel Menino, Gabriel Furtado e Luan Cândido, convocados pela Seleção Brasileira, e Aníbal, que defenderá o Paraguai. Mas Patrick de Paula, aos 33 minutos do primeiro tempo, e Josué, aos 41 da etapa final, balançaram as redes para o desfalcado alviverde.

Garotos garantiram uma estreia com vitória para o novo uniforme do clube (Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação)
Garotos garantiram uma estreia com vitória para o novo uniforme do clube (Fabio Menotti/Ag. Palmeiras/Divulgação)
Foto: LANCE!

Campeão paulista, brasileiro e da Copa RS no ano passado, o time sub-20 do Palmeiras é o favorito do Grupo 13 da Copinha, mas termina esta primeira rodada em segundo lugar no critério de desempate. O XV de Piracicaba venceu o Capivariano por 4 a 2 e, por ter feito mais gols, fica na frente nos critérios de desempate - tem os mesmos três pontos do time alviverde.

O Palmeiras volta a jogar no domingo, às 21h, contra o XV de Piracicaba. Os dois primeiros colocados de cada uma das chaves avança na Copa São Paulo de Futebol Júnior. A final será no dia 25, data de aniversário da capital paulista.
A Arena Capivari foi um adversário além do Galvez para o Palmeiras. As fortes chuvas que caíram na cidade formaram poças no gramado, principalmente no meio-campo e na defesa do time paulista. O toque de bola ficou completamente comprometido e atrapalhou o jogo dos comandados do técnico Wesley Carvalho.

Ao longo do primeiro tempo, o Palmeiras percebeu que poderia arriscar mais de longe, abrindo mão de chegar tocando, e avançou bastante com Marcus Meloni, pela direita. O adversário do Acre, por sua vez, tentava impor velocidade explorando exatamente o lado direito da defesa alviverde, mas pouco levava perigo.

À medida que a partida avançava, com o campo pesado, a questão física fez a diferença, e a marcação do Galvez afrouxou. Assim, aos 33 minutos do primeiro tempo, Patrick de Paula chegou de trás completamente desmarcado, na área, para receber cruzamento vindo da linha de fundo, com tempo e espaço para ajeitar o corpo e balançar as redes, abrindo o placar para o time alviverde.

Camisa 10 do Palmeiras, o japonês Daeji Sasaki foi dos mais prejudicados pela condição do gramado, pois o jogo era forçadamente pelos lados. Quando conseguia a bola, o asiático sofreu com pancadas, precisando da maca duas vezes. No segundo tempo, ele saiu para dar lugar a Gabriel Veron, uma das grandes apostas do clube, e que manteve o time mais no ataque.

A etapa final ficou marcada pelo Palmeiras tentando abrir vantagem, diante de um Galvez valente para superar o desgaste físico e se fechar em seu campo. Segurou o quanto pôde. Até que, aos 41 minutos, Lincon recebeu cobrança de lateral e, da linha de fundo, rolou rasteiro para Josué fazer 2 a 0.

Veja também:

 

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade