0

Eleição sobre vitalícios no Palmeiras termina em confusão

Presidente do Conselho Deliberativo afirma que faltaram seis votos para que pleito tivesse validade e rebate as acusações

14 dez 2019
22h27
atualizado em 15/12/2019 às 10h42
  • separator
  • 0
  • comentários

Em meio ao fim das negociações com Jorge Sampaoli e da aceleração das conversas que podem levar à contratação de Vanderlei Luxemburgo como técnico para 2020, o sábado teve uma assembleia geral para sócios decidirem se aceitam a redução de membros vitalícios no Conselho Deliberativo do Palmeiras. Mas não houve quórum e ocorrem acusações de confusão.

Seraphim Del Grande rebate acusações de que escondeu o resultado da votação (Agência Palmeiras/Divulgação)
Seraphim Del Grande rebate acusações de que escondeu o resultado da votação (Agência Palmeiras/Divulgação)
Foto: LANCE!

Nas redes sociais, conselheiros apontaram que Serpahim Del Grande, presidente do Conselho, encerrou a votação mais cedo do que se costuma, o que ajudaria na configuração de menos votos dos que os cerca de 760 necessários para validade da assembleia, e deixou com o clube com o resultado no bolso. Em entrevista exclusiva ao LANCE!, Del Grande nega tudo.

- Quem comenta isso não tem o mínimo conhecimento jurídico. Quando se tem uma eleição, vai para a secretaria, que emite um comunicado que é fixado na segunda-feira para todos os associados. Na segunda-feira, estará lá fixado o resultado da eleição. Mas todos sabem que não deu quórum e que será convocada uma nova eleição - afirmou o dirigente.

- Precisa ser um infeliz, um recalcado para dizer que coloquei o resultado no bolso e fui embora. E a eleição começou às 8h, terminaria às 17h e o encerramento foi por volta de 17h30, 18h - prosseguiu, indicando que a nova assembleia ocorrerá em 18 de janeiro, com necessidade de quórum menor.

- Não deu quórum. Eram necessários 10% dos sócios em ordem, que seriam cerca de 760, e faltaram seis votos. Será convocada uma nova assembleia daqui 30 dias, por volta de 18 de janeiro. Nessa segunda assembleia, são necessários 500 votos - explicou.

O Conselho do Palmeiras hoje é dividido da seguinte forma: 300 cadeiras ao todo, sendo 152 para conselheiros eleitos, e outras 148 para vitalícios (apenas 135 destas vagas estão ocupadas). Em outubro, foram votadas duas propostas de reforma estatutária: a primeira para diminuir o número de vitalícios para 120, e a segunda, para 100. Nenhuma contou com aprovação dos conselheiros.

Ainda assim, as duas ideias de redução foram colocadas ao associado e serão votadas novamente nessa segunda assembleia, provavelmente em 18 de janeiro. Para conseguir a aprovação, é preciso de dois terços do total de votantes. Caso o número não seja atingido, o Conselho Deliberativo permanecerá com 148 cadeiras para vitalícios.

Este assunto já foi votado anteriormente, mas gerou polêmica. O Conselho brecou a primeira tentativa de diminuição dos vitalícios, e o associado teve de votar se concordava em manter a composição do órgão como é atualmente (152 +148). O sócio votou contra, mas a maioria não atingiu dois terços dos votos na ocasião.

Esperava-se que o tema voltasse a ser debatido entre os conselheiros, mas mesmo durante este imbróglio, Del Grande já convocou duas novas votações para vitalícios - dez vagas foram preenchidas desde janeiro.

Veja também:

Previsão Brasil - Tempo severo no Sul

 

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade