0

Diretor do Cruzeiro mostra interesse em Bruno Henrique e Dodô, do Santos

Diretor de futebol do clube, Marcelo Djian voltou a falar no atacante santista e revelou que a Raposa monitora o lateral Dodô, também do Peixe

15 nov 2018
14h18
atualizado às 14h27
  • separator
  • comentários

O Cruzeiro está numa posição privilegiada no futebol brasileiro nesta reta final de temporada. Com o título da Copa do Brasil, a Raposa já se garantiu na Libertadores do ano que vem e não corre nenhum risco de queda para a segunda divisão no Brasileiro. Com esse cenário, o time celeste está de olho no mercado e os primeiros nomes que entraram no radar cruzeirense são do atacante Bruno Henrique e do lateral Dodô, ambos do Santos.

Bruno Henrique é um sonho antigo do Cruzeiro, sendo citado diversas vezes pelo vice-presidente de futebol, Itair Machado, sobre suas qualidade técnicas (Foto: Pedro Ernesto Guerra)
Bruno Henrique é um sonho antigo do Cruzeiro, sendo citado diversas vezes pelo vice-presidente de futebol, Itair Machado, sobre suas qualidade técnicas (Foto: Pedro Ernesto Guerra)
Foto: Lance!

Não é a primeira vez que o Cruzeiro cita o nome de Bruno. O vice-presidente de futebol Itair Machado já havia falado sobre o desejo e contar com o jogador.

Quem se pronunciou sobre os jogadores do Santos dessa vez foi o diretor de futebol do Cruzeiro, Marcelo Djian. Em entrevista à Rádio Itatiaia, ele comentou sobre o interesse do time celeste nos atletas, reiterando que não há nenhuma investida oficial por parte do Cruzeiro.

- Eles são jogadores que eu vi e que estão sendo cogitados, são jogadores que realmente têm qualidade. Mas para conseguirmos, temos que falar com o Santos, porque os dois têm contrato. Ainda são nomes que ainda a gente está conversando para ver se a gente realmente vai fazer proposta, mas ainda não tem nada - disse Djian.

A ida dos jogadores para a Raposa não é fácil. Bruno Henrique tem contrato por mais dois anos com o Peixe. Já Dodô até tem vínculo terminando no fim de 2018, mas a equipe paulista possui uma cláusula no acordo com a Sampdoria, da Itália, pelos direitos de Dodô, com preferência para a compra em definitivo caso o Santos pague 1,5 milhão de euros (cerca de R$ 7,2 milhões) aos italianos.

A permanência de Dodô na Vila Belmiro dependerá também de um acordo salarial entre Santos e Sampdoria, o que a direção do clube da Baixada Santista considera difícil pelo alto valor. Apesar da situação ser complexa, o presidente do Santos, José Carlos Peres, disse que tem a intenção de ficar com Dodô.

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade