3 eventos ao vivo

Diretor do BRAVE CF fala sobre volta dos eventos e próximos planos: 'Vamos expandir pelo mundo'

Diretor executivo do BRAVE Combat Federation, uma das maiores organizações de MMA do mundo, brasileiro Gustavo Firmino fala sobre os impactos da Covid-19 nos planos da franquia, a retomada dos eventos e os próximos planos da companhia

6 out 2020
09h47
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Por Mateus Machado

Diretor-executivo do BRAVE CF, Gustavo falou sobre os próximos planos da organização (Foto: Divulgação/BRAVE CF)
Diretor-executivo do BRAVE CF, Gustavo falou sobre os próximos planos da organização (Foto: Divulgação/BRAVE CF)
Foto: Lance!

Considerada a maior organização de MMA do Oriente Médio e uma das maiores do mundo, o BRAVE Combat Federation, como não poderia ser diferente, foi impactado pela pandemia global do coronavírus. Em meio à pandemia, a franquia ficou aproximadamente seis meses sem realizar eventos, mas retomou suas atividades em julho. Desde então, foram nove edições realizadas, sendo quatro na Suécia, três no Bahrein e duas na Romênia, o que comprova os planos da companhia de se tornar cada vez mais global, expandindo seus eventos para mais países.

Responsável por revelar diversos nomes do MMA mundial - tendo como exemplo mais recente disso o russo radicado na Suécia Khamzat Chimaev, que vem impressionando em seu início de trajetória no UFC -, o BRAVE CF mantém seus planos ousados visando o restante de 2020 e o ano de 2021. Para falar melhor sobre o assunto, o diretor-executivo da organização, Gustavo Firmino, falou em entrevista à TATAME sobre os próximos passos da organização.

- Iremos anunciar mais dois eventos esse ano, e para 2021, reiteramos o compromisso do BRAVE CF de continuar expandindo pelo mundo e para novos territórios, continuando nosso programa de scouting para revelar novos talentos, e dando continuidade a expansão global do BRAVE CF como o evento que mais rapidamente cresce no mundo. Enquanto muitas organizações foram obrigadas a retrair, demitir funcionários e cancelar eventos ou temporadas, o BRAVE CF segue organizando shows dentro e fora de casa, e expandindo suas operações. Neste período, conseguimos assinar diversas parcerias que nos ajudaram a expandir ainda mais a nossa marca mundo afora, estamos expandindo nossa equipe interna e nosso elenco de atletas. Isso só é possível quando se há uma visão por trás disso tudo, e essa visão é a de Sua Alteza Shaikh Khalid bin Hamad Al Khalifa, um homem que vem revolucionando o esporte e que ainda fará muito mais por todos os envolvidos no MMA - afirmou.

Ao longo do bate-papo, o brasileiro Gustavo Firmino falou sobre o impacto da Covid-19 nos planos do BRAVE CF para 2020, a maneira como a companhia se organizou na retomada dos seus eventos e reforçou os planos da franquia em tornar a relação com o Brasil e os atletas brasileiros cada vez mais sólida.

Confira a entrevista na íntegra:

- De que maneira a Covid-19 impactou os planos do BRAVE CF para o ano de 2020?

Creio que como em todos os setores da economia e esportes, com certeza a pandemia tem sido um desafio para o MMA também. Falando do BRAVE CF, tivemos eventos confirmados que tiveram que ser adiados, inclusive uma edição no Brasil, em Balneário Camboriú, que estava planejada para acontecer em Março. Fomos forçados a aguardar e colocar os eventos em standby, até que situação da pandemia se clarificasse, e tivéssemos direcionamento das organizações de saúde e governamentais para voltar a planejar os eventos, com um protocolo garantindo a segurança de todos envolvidos nos eventos.

Por outro lado, entendemos que não podemos ficar parados. Nossa intenção sempre foi entender como poderíamos organizar um show com o máximo de segurança para os envolvidos e fomos um dos primeiros a retornar, inclusive com vários eventos na Europa, um continente que foi bastante prejudicado e onde o MMA praticamente parou nesse período. Poder dar essa chance aos atletas europeus e baseados na Europa foi muito gratificante. Acredito que isso nos colocou em outro patamar dentro do Velho Continente, até porque obtivemos muito sucesso no nosso protocolo de segurança.

- Como tem sido para a organização esse retorno dos eventos? O que o BRAVE procurou fazer para tornar esse evento seguro e, ao mesmo tempo, atrativo para quem acompanha as edições?

Como mencionado, voltamos a fazer os eventos implementando um protocolo para garantir a segurança de todos os atletas e pessoas envolvidas na organização do evento. Como consequência, os eventos tem sido sem público, o que de fato muda a experiência do evento. Porém, temos focado em adicionar novos recursos durante a transmissão, e também a produção de conteúdo como o Road to BRAVE CF, BRAVE Experience, e Ultraview, entre outros, para melhorar ainda mais a experiência do público assistindo de casa e acompanhando a storyline dos lutadores e da fight week através das nossas mídias sociais.

Outro ponto que acho importante mencionar é a qualidade das lutas e dos atletas que temos sob contrato. Acredito que tenhamos o melhor programa de scouting do MMA mundial, e o BRAVE CF está se especializando em encontrar diamantes brutos e lapidá-los. Neste retorno pós-pandemia, vários deles se destacaram e deram show para os nossos fãs. Esse período também nos ajudou a dar chances para várias jóias do MMA mundial.

- Quais são os planos do BRAVE para o restante do ano e, sobretudo, para 2021?

Completamos na última semana o terceiro evento consecutivo do BRAVE CF aqui no Bahrein. Foram grandes eventos, contando com lutadores de todo o mundo, disputa de título, inicio do torneio da categoria dos moscas, no qual o vencedor vai se sagrar o campeão inaugural dessa categoria no BRAVE CF, o retorno de Jarrah Al-Silawi, considerado o melhor lutador do Oriente Médio, a primeira luta no Bahrain como profissional do Muhammed Mokaev, prospecto mais falado do MMA mundial na atualidade, e muitas outras estrelas dos Estados Unidos, Europa, Ásia e Brasil. Iremos anunciar mais dois eventos esse ano, e para 2021, reiteramos o compromisso do BRAVE CF de continuar expandindo pelo mundo e para novos territórios, continuando nosso programa de scouting para revelar novos talentos, e dando continuidade a expansão global do BRAVE CF como o evento que mais rapidamente cresce no mundo.

Enquanto muitas organizações foram obrigadas a retrair, demitir funcionários e cancelar eventos ou temporadas, o BRAVE CF segue organizando shows dentro e fora de casa, e expandindo suas operações. Neste período, conseguimos assinar diversas parcerias que nos ajudaram a expandir ainda mais a nossa marca mundo afora, estamos expandindo nossa equipe interna e nosso elenco de atletas. Isso só é possível quando se há uma visão por trás disso tudo, e essa visão é a de Sua Alteza Shaikh Khalid bin Hamad Al Khalifa, um homem que vem revolucionando o esporte e que ainda fará muito mais por todos os envolvidos no MMA.

- Sabemos da relação próxima do BRAVE CF com o Brasil. Quais são os planos da organização para o país em relação a realização de eventos e aos atletas brasileiros?

O Brasil é considerado a segunda casa do BRAVE CF, onde já tivemos quatro eventos, além de termos contado com mais de 70 lutadores brasileiros lutando pelo nosso evento. Nenhum dos outros 71 países já representados no BRAVE CF tiveram presença tão maciça quanto o Brasil em termos de atletas. Infelizmente tivemos que adiar o evento de Balneário Camboriú, que estava planejado para Março deste ano, devido à pandemia. No entanto, pudemos contar com grandes nomes do MMA Brasileiro nos eventos do Bahrein. Mantemos nosso objetivo de expandir no Brasil e ajudar o MMA brasileiro com oportunidades para os atletas locais terem exposição internacional. O objetivo e retornar ao nosso segundo lar assim que for possível.

Veja também:

Confira a repercussão da morte de Maradona na Argentina e pelo mundo
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade