1 evento ao vivo

De volta à Série A, Paraná aposta na base e em jogadores experientes

Sob o comando do treinador Rogério Micale, Paraná faz reformulação no elenco e aposta no experiente meia Carlos Eduardo para a sequência da temporada, após eliminações

13 abr 2018
07h36
atualizado às 07h48
  • separator
  • comentários

O Paraná chega ao Brasileiro depois de uma eliminação precoce na Copa do Brasil e uma campanha irregular no Campeonato Estadual. Após boa campanha na Série B do ano passado, o Paraná perdeu jogadores importantes, como Renatinho, que foi para o Botafogo. Para esta temporada, a chegada de Carlos Eduardo é um dos principais trunfos da equipe. O técnico Rogério Micale chegou com a missão de reformular a equipe e tem apostado na mistura de jogadores jovens com experientes. O Paraná enfrenta o São Paulo, no Morumbi, nesta segunda, 20h.

Paraná retorna a Série A sob o comando de Rogério Micale: veja ano a ano a campanha nos pontos corridos
Paraná retorna a Série A sob o comando de Rogério Micale: veja ano a ano a campanha nos pontos corridos
Foto: Divulgação/ Paraná Clube / Lance!

Ainda em jejum

No Estadual, o Paraná teve uma campanha irregular. Na primeira fase, na Taça Dionísio Filho, terminou em último colocado no Grupo A, com apenas cinco pontos em seis jogos e sem se classificar para a fase final.

Na segunda fase, na Taça Caio Júnior, o oposto. Terminou em primeiro, com 13 pontos e teve a melhor campanha do Grupo A e B. Na semifinal, porém, enfrentou o Londrina e após o empate em 1 a 1, no tempo regulamentar, com gol de Vitor Feijão, foi eliminado nos pênaltis e se despediu do sonho de conquistar o Estadual. A última vez que isso aconteceu foi em 2006.

Eliminação precoce

Na primeira fase da Copa do Brasil, o Paraná empatou em 1 a 1 com a URT, gol de Alemão, nos minutos finais, e avançou. A classificação no sufoco foi um presságio para o que aconteceria na sequência da competição. Uma derrota por 1 a 0, contra o Sampaio Corrêa, eliminou o Paraná da competição de forma precoce. Na Copa do Brasil, o Paraná nunca passou das quartas de final.

Destaques

Dentre os principais jogadores da equipe, Carlos Eduardo é a principal referência técnica. Do elenco que participou da campanha na Série B do ano passado, destaque para o goleiro Richard, que tem o carinho dos torcedores. Dentre as jovens promessas, o atacante Johnny Lucas é uma das esperanças.

Carlos Eduardo
O meia é a principal referência técnica do time. Carlos Eduardo surgiu no Grêmio, em 2007, como uma das grandes promessas do futebol brasileiro. Sua boa passagem pelo Hoffenheim (2008-2011), da Alemanha, fez com que ele fosse pré-convocado para a Copa do Mundo de 2010. Após o sucesso na Europa, o meia conviveu com lesões e não conseguiu manter seu bom futebol no Rubin Kazan (Rússia), Flamengo e Atlético Mineiro. No Paraná, buscando um recomeço, começou bem a temporada. Em sete jogos, marcou dois gols e também foi importante na boa campanha na Taça Caio Júnior. É uma das apostas do Paraná para a disputa do Brasileirão, principalmente após a perda de Renatinho para o Botafogo.

Richard
O goleiro Richard é um dos destaques positivos do clube nesta temporado. Adorado pela torcida, chegou ao Paraná em 2017, emprestado pelo Água Santa. Ao todo, já fez 40 jogos com a camisa tricolor.

Johnny Lucas
O jovem de 18 anos entrou bem nas partidas que realizou no Campeonato Paranaense. O atacante é uma das promessas do Paraná para a temporada. O jogador, que é da base do Tricolor, integrou o profissional, em 2017, durante a disputa da Série B.

Cléber Reis
Contratado junto ao Santos, Cléber Reis é um dos experientes e referências do Paraná no momento. Com passagens pelo Corinthians, disputou a Série A pelo Coritiba, em 2017 e chega para reforçar a zaga do Paraná para o Campeonato Brasileiro.

Rogério Micale
O técnico chegou no clube e começou uma reformulação. Indicando jogadores jovens, já começou a reforçar o elenco para a disputa do Campeonato Brasileiro. Experiente com jogadores da base, Micale aposta em jogadores da base para o desenvolvimento da equipe, além de jogadores experientes. O técnico ficou reconhecido no cenário futebolístico após conseguir a medalha de ouro inédita com a Seleção Brasileira nas Olimpíadas do Rio em 2016. Após esse grande feito, não conseguiu se manter em um clube grande no país, não tendo uma boa passagem pelo Atlético Mineiro. O Paraná é uma grande oportunidade do treinador mostrar o seu valor.

Time-base

O que fez em 2018
Aproveitamento
: 47,62% (5V, 5E e 4D)
Estadual: eliminado na semifinal
Copa do Brasil: eliminado na segunda fase

Opinião
"O Paraná é uma incógnita. Pode começar com muita dificuldade o campeonato. Mas tem uma estratégia: jogadores jovens e veteranos, com o endosso de Rogério Micale, que tem experiência com jogadores da base. O início de reformulação foi muito difícil, poucos jogadores deram certo. O clube está fazendo uma segunda leva de contratações para arrumar a casa. Sob a supervisão do Micale, ele está indicando muitos jogadores jovens, que saíram cedo e que não tem tanto mercado na Europa. Pode surpreender"
Rodrigo Fernandes, editor do Gazeta do Povo (PR)

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade