0
Logo do Palmeiras
Foto: terra

Palmeiras

Cuca diz que não enfrentou 'um time qualquer' e valoriza vantagem

Técnico nota intensidade do time cair no segundo tempo e lembra que houve chances tanto para outro gol do Palmeiras quanto para o empate do Internacional

18 mai 2017
00h55
atualizado às 01h01
  • separator
  • comentários

Cuca diz que não tem do se queixar após a vitória por 1 a 0 sobre o Internacional, no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil, nesta quarta, no Allianz Parque. Para o técnico, o resultado poderia tanto ter sido melhor quanto ter sido pior para sua equipe.

- Dentro dos critérios da Copa do Brasil, você vencer e não tomar gol em casa te dá uma vantagem. Mas não deixa nenhuma comodidade, pelo contrário. Poderia ter sido melhor, ter feito mais um gol, mas poderíamos ter tomado também, hoje não encaixamos a marcação na bola parada. Não tem do que queixar. Jogamos contra um adversário que passa a linha da bola e quer o contra-ataque. Criamos bastante, não muito como contra o Vasco, mas criamos. Fui fazendo as trocas para manter a intensidade do time, mas ela caiu, muito em função de ter jogado há três dias em intensidade grande, é natural não conseguir manter - disse o comandante.

Cuca durante a vitória sobre o Inter (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)
Cuca durante a vitória sobre o Inter (Foto: Cesar Greco/Palmeiras)
Foto: LANCE!


Cuca fez questão de ressaltar que do outro lado estava um adversário de qualidade, embora esteja disputando a Série B neste ano.

- O Inter não é um time qualquer. É um time que jogaria a Primeira Divisão igual a qualquer outro. Foi infeliz, caiu, mas é forte, organizado, tem marcação, tem saída em velocidade. Se você deixar o Cirino no contra-ataque, se deixar o D'Alessandro armar, deixar o Nico López concluir... Enfrentamos uma boa equipe - declarou.

Antes do jogo contra o Vasco, sua reestreia pelo Palmeiras, Cuca avisou que deixaria Borja em campo até o fim, independentemente do que acontecesse. Cumpriu a promessa e viu o colombiano marcar dois gols na vitória por 4 a 0. Nesta quarta, o camisa 9 foi o primeiro substituído. Cuca explicou:

- O Borja tem evoluído na compactação do time. Se a gente for olhar lances de jogos anteriores, e do jogo com o Vasco para esse, ele tem evoluído. É jogo a jogo, treino a treino. Ele estava presente no lance do gol, forçou o zagueiro a tomar uma ação, e essa ação resultou no gol. Uma outra bola ele driblou o goleiro e pôs para fora, teve uma outra que ele cabeceou, uma outra no segundo tempo que ele botou na frente e o zagueiro cortou. Você tira porque esse tipo de jogador são os que mais cansam. Eles não precisam dizer para o treinador que estão cansados, você sente.

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade