PUBLICIDADE

Cruzeiro pode receber até R$ 40 milhões em possível desapropriação da sua sede no Barro Preto

O Ministério Público de Minas Gerais pode entrar em um acordo com a Raposa para ficar e utilizar o prédio que recebia toda a parte administrativa do clube

6 mai 2021 21h42
| atualizado às 21h42
ver comentários
Publicidade

O Cruzeiro alocou, desde fevereiro, seus funcionários administrativos em um coworking, sistema de escritórios compartilhados, para reduzir custos que tinha com a manutenção da sua sede administrativa, no Barro Preto.

A sede administrativa pode se tornar um prédio do MP mineiro e ainda render um bom dinheiro à Raposa- (Foto: Instagram Oficial do Cruzeiro)
A sede administrativa pode se tornar um prédio do MP mineiro e ainda render um bom dinheiro à Raposa- (Foto: Instagram Oficial do Cruzeiro)
Foto: Lance!

E, com o prédio da sede sem uso, a Raposa busca uma forma de gerar receitas com ele. A solução pode vir de um acordo de desapropriação do prédio para o Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), que pode render até R$ 40 milhões. O imóvel está avaliado em R$ 70 milhões, mas com um acordo, o valor pode ser reduzido. A informação é da Rádio Itatiaia, com o jornalista João Vitor Xavier, e confirmada pelo L!.

Em mensagem publicada no Twitter, o Procurador Geral do Estado de Minas Gerais e chefe do Ministério Público, Jarbas Soares, confirmou que a finalidade de um acordo com o Cruzeiro é para "novo órgão de investigação do dinheiro público desviado", sendo que pode haver até um contrato de aluguel.

Em nota, o time celeste disse que a mudança de sede é para reduzir custos e também gerar novas receitas para o clube. Confira a nota abaixo.

-É público que a diretoria do Cruzeiro não tem medido esforços para cortar gastos e buscar novas receitas, com o intuito de oxigenar a saúde financeira do Clube.

Além de significar uma economia importante para a instituição, a mudança da Sede Administrativa sempre teve entre seus objetivos a oportunidade de rentabilização para os cofres do Cruzeiro, seja em modelo de locação ou de venda, condicionada neste último caso (venda) à apreciação e aprovação do Conselho Deliberativo.

A diretoria tem estudado de forma responsável e minuciosa diversas propostas e consultas realizadas, mas ressalta que ainda não há uma definição.

Lance!
Publicidade
Publicidade