12 eventos ao vivo

Cruzeiro consegue acordo e reduz dívida tributária em R$ 151 milhões

O presidente do clube,Sérgio Santos Rodrigues, comunicou o acordo com a Fazenda Nacional para pagar os valores devidos em impostos

23 out 2020
14h43
atualizado às 14h43
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O Cruzeiro conseguiu um grande alívio para os seus cofres e ainda deu um passo para retomar a credibilidade do clube no mundo do futebol. O presidente do clube, Sérgio Santos Rodrigues anunciou um importante acordo com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional, para equalizar a dívida do clube com a União, após a saída em definitivo do PROFUT.

O Cruzeiro anunciou a boa notícia no início da tarde desta sexta-feira-(Divulgação/Cruzeiro)
O Cruzeiro anunciou a boa notícia no início da tarde desta sexta-feira-(Divulgação/Cruzeiro)
Foto: Lance!

No acordo, o Cruzeiro conseguiu reduzir cerca de 45% do seu passivo de débitos, o que representa nada menos que R$ 151.798.099,00, de um valor total de R$ 334.182.840,98.

Os descontos foram estipulados individualmente para cada inscrição do clube em dívida ativa, de acordo com a natureza do débito, a data de sua constituição e a possibilidade do pagamento. No âmbito previdenciário, a redução chegou a 53,65% e, nos demais débitos, foi de até 62,44%.

Desta forma, a transação suspende o curso de 33 processos e recursos judiciais, que juntos demandavam do clube o pagamento de aproximadamente R$ 100 milhões, e soluciona de forma definitiva grandes impasses como a discussão sobre a reinclusão do Clube no PROFUT, a questão dos bloqueios judiciais existentes na Execução Fiscal, em que a justiça determinou bloqueio, em 2019, de parte dos valores referentes venda do atleta Arrascaeta, e o impasse entre o clube, a União e a Minas Arena, sendo possível a homologação definitiva de acordo. Assim, também foi solucionado bloqueio existente no imóvel Campestre II, o que possibilitará sua imediata alienação.

Com a nova negociação, o Cruzeiro poderá quitar sua dívida com a União em 145 vezes. Nos primeiros 12 meses serão faturadas parcelas mensais de R$ 350 mil. Após o período, os valores serão progressivos.

O acordo foi conduzido pelo presidente Sérgio Santos Rodrigues e o departamento jurídico do Clube, representado pelo superintendente Flávio Boson, a advogada Danúbia Paiva e o advogado tributarista João Paulo de Almeida Melo.

Veja também:

Mostramos o cenário na briga pelo prêmio de melhor do mundo
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade