PUBLICIDADE

Conmebol confirma mudança da sede da partida entre Junior Barranquilla e Fluminense

A anulação ocorre um dia depois da torcida organizada Frente Rojiblanco Sur 1998, do Junior Barranquilla, solicitar o adiamento ou suspensão da partida

5 mai 2021 13h14
| atualizado às 15h38
ver comentários
Publicidade

Na tarde desta quarta-feira, a Conmebol informou que a partida entre Junior Barranquilla e Fluminense, válida pela terceira rodada do Grupo D da Taça Libertadores, não será disputada em Barranquilla, na Colômbia. O confronto foi remarcado para Guayaquil, no Equador, ainda nesta quinta-feira, às 21h (de Brasília). A decisão da Confederação também afetou o jogo entre Tolima (COL) e Emelec (EQU), pela Sul-Americana.

A partida seria disputada no Estádio Romelio Martínez, em Barranquilla (Foto: Divulgação)
A partida seria disputada no Estádio Romelio Martínez, em Barranquilla (Foto: Divulgação)
Foto: Lance!

"Em reunião virtual realizada na manhã desta quarta-feira, com os representantes da Conmebol designados para a partida, o Fluminense foi comunicado da alteração do local do jogo contra o Junior Barranquilla, pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores. Até então, o confronto se realizaria no Estádio Romelio Martínez, em Barranquilla, cidade onde o Fluminense já se encontra. A decisão se deu com antecedência de cerca de 30 horas do pontapé inicial. No início da tarde, no horário colombiano, foi definida a cidade de Guaiaquil, no Equador, como a nova sede. A data foi mantida, mas atendendo a um pedido do Fluminense, a Conmebol passou o jogo para as 19h (local)", diz a nota do Flu.

O clube vai manter o treino na tarde desta quarta-feira em Barranquilla, algo pedido à Conmebol. Agora, o Fluminense reprograma a logística de acordo com o novo local.

ENTENDA A SITUAÇÃO

A anulação ocorre um dia depois da torcida organizada Frente Rojiblanco Sur 1998, do Junior Barranquilla, solicitar o adiamento ou suspensão da partida. Em nota oficial, a torcida faz críticas ao governo colombiano, os classificou como "fascistas" e destacou que pode impedir o deslocamento do ônibus da equipe até o estádio

Essa nota vem em um momento no qual o país passa por uma situação delicada. A crise na Colômbia começou no dia 28 de abril, quando ocorreu um protesto contra uma reforma tributária. O plano foi apresentado pelo Governo ao Congresso no dia 15 do mesmo mês, como uma medida para financiar os gastos públicos. No entanto, o projeto recebeu críticas de opositores e também de aliados do presidente Iván Duque.

Dessa maneira, a insatisfação se espalhou pela população, e o governo ordenou o envio de militares para algumas cidades. Nos últimos seis dias de protestos, pelo menos 18 civis e um policial morreram, segundo o balanço da Defensoria do Povo. A Organização das Nações Unidas (ONU), inclusive, condenou o "uso excessivo da força" na Colômbia, na última terça-feira.

OUTROS DESDOBRAMENTOS

Na última terça-feira, a Conmebol transferiu as partidas de todas as equipes argentinas que jogariam na Colômbia para Assunção, no Paraguai. Assim, no grupo do Fluminense, o duelo entre Santa Fe e River Plate será realizado nesta quinta-feira, mas na capital paraguaia.

O presidente do Junior Barranquilla, Alejandro Arteta, estava confiante e chegou a afirmar que a partida poderia ser realizada na Colômbia. As autoridades locais que se manifestaram, inclusive, afirmaram que a partida poderia ser realizada na cidade. No entanto, isso não vai acontecer.

- Nós estamos muito seguros de todas as medidas que (as autoridades) estão tomando e temos a garantia de que teremos o jogo como estava previsto. A partida de quinta-feira será realizada conforme já estava estabelecido pela Conmebol - disse o presidente do Junior Barranquilla.

Lance!
Publicidade
Publicidade