2 eventos ao vivo

Com um a mais, Bahia para na defesa do Atlético-BA na ida da decisão do estadual

Equipe de Roger Machado teve vantagem numérica desde os 34 minutos do primeiro tempo, mas não conseguiu tirar o zero do marcado em Pituaçu

5 ago 2020
23h30
atualizado às 23h36
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Ninguém conseguiu encaminhar vantagem para o segundo jogo da decisão do Campeonato Baiano. Jogando no Estádio de Pituaçu, o mandante Atlético de Alagoinhas, mesmo tendo um jogador a menos, resistiu a pressão do Bahia e colaborou bastante para o resultado de 0 a 0 que deixa tudo "em aberto" para o confronto do próximo sábado (8) às 16h30.

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia
Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia
Foto: Lance!

CHANCE DE OURO!

Logo com três minutos de jogo, o time de Alagoinhas exerceu pressão na saída de bola adversária e viu uma oportunidade preciosa cair nos pés de Tobinha. Depois de roubar a posse de Zeca dentro da grande área, Edilson bateu de perna esquerda e, com a defesa parcial de Douglas Friedrich, no rebote o camisa 7 bateu por sobre a meta com o arqueiro do Bahia já batido no lance.

(QUASE) CHANCE DE OURO

Em boa parte da etapa inicial, o Esquadrão esteve diante do repetido problema de muita posse de bola e pouca efetividade para transformar o domínio territorial em oportunidades claras de gol. Dentro desse contexto, o lance de maior perigo para o Bahia apareceu quando o goleiro do Atlético, Fábio Lima, saiu de maneira precipitada da meta e viu Saldanha tocar para Marco Antonio ficar de frente para a meta. Porém, o camisa 7 tocou por cobertura e viu a bola passar perto da trave direita pela linha de fundo. Apesar da boa construção, o lance foi invalidado por impedimento de Saldanha.

DESEQUILÍBRIO

Além do crescimento gradual da eficiência do Tricolor no plano de ataque, o lance onde Saldanha ia ficar cara a cara com Fábio Lima acabou resultando na expulsão do meio-campista Makelele. Ganhando na base da velocidade de seu marcador, o atacante do Bahia foi puxado na altura da meia lua pelo camisa 5 do Atlético de Alagoinhas e a arbitragem de Diego Pombo Lopes não duvidou em dar o cartão vermelho direto.

AUMENTOU A PRESSÃO

Os espaços que antes pareciam difíceis de aparecer, com a possibilidade de ter um jogador a mais, ficaram mais claros e Fábio Lima passou a trabalhar de maneira mais intensa e necessária. Chute saindo do gol, erro no soco dado no alto que contou com a falta de pontaria de Jadson, batida rasteira de Saldanha, finalização no travessão de Zeca... as oportunidades se empilhavam e o jogo parecia se resumir em saber quando o tento dos comandados de Roger Machado sairia.

E QUASE SURPREENDEU

Mesmo "acuado" em boa parte da etapa complementar por conta da desvantagem numérica, isso não evitou com que a proposta de contra-ataque desse duas chances com boas possibilidades de sair de campo com uma então heroica vantagem.

Além da batida de média distância de Tobinha onde Douglas Friedrich se esticou todo no canto direito, o meia Vitinho foi lançado na base da velocidade e teve liberdade para finalizar. Contudo, bateu tirando demais do arqueiro adversário e a bola beliscou a trave antes de sair.

Veja também:

Garotada do Flamengo vai bem dentro de campo, mas diretoria rubro-negra vai mal fora dele
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade