0

Castigo no fim: falhas em excesso ofuscam brilho de Reinier e Bruno Henrique no Flamengo

Vasco, valente e bem postado, empata nos acréscimos em um dos clássicos cariocas mais frenéticos dos últimos anos. Pelo lado do Fla, veja fatores marcantes do duelo

14 nov 2019
00h10
  • separator
  • 0
  • comentários

Uma noite com o carimbo do Maracanã. E, por ser jogo antecipado da 34ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi o único da noite, o que fez com que mais pessoas assistissem ao clássico carioca mais eletrizante dos últimos anos. Flamengo e Vasco empataram em 4 a 4, com direito a duas viradas, gol antes de um minuto completo e bola na rede nos acréscimos, via Cruz-Maltino.

TABELA
> Confira e simule a classificação do Campeonato Brasileiro


O resultado deixa o Flamengo, que digere amargamente o placar, com 11 pontos de vantagem para o Palmeiras, que passa a ter um jogo a menos.

Confira fatores marcantes do último jogo do Rubro-Negro como mandante antes de disputar a final da Copa Libertadores:

JOIA RARA

Flamengo passa a ter 11 pontos de vantagem no topo (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Flamengo passa a ter 11 pontos de vantagem no topo (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)
Foto: Lance!

Reinier abriu o placar (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Jesus entrou com uma mudança em relação ao time que bateu o Bahia: Reinier na vaga de Vitinho, que retornara ao banco, sentando-se junto a Arrascaeta, recuperado de uma lesão no joelho. E a joia brilhou, logo cedo, apresentando as suas credencias de candidato a craque em breve.

Reinier saiu em disparada, pela esquerda, como se os defensores vascaínos ainda estivessem sem a mão no controle numa partida de futebol virtual. O camisa 19 deixou Everton Ribeiro na boa. Placar inaugurado com 40 segundos, alimentando ainda mais a curiosidade a respeito da postura vascaína.

QUEDA DE RITMO

Flamengo não foi intenso (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

E a postura do Vasco merece ser louvada. O time de Luxemburgo não abriu mão das teias de marcação à frente da área e procurou cuidar bem da bola, com inversões, principalmente, para abrir espaços no exemplar sistema defensivo do Rubro-Negro.

Por sua vez, a equipe de Jesus não teve êxito na busca por um jogo mais vertical. Gabigol errou em demasia quando flutuava, assim como Bruno Henrique. Reinier, protagonista no início, participava pouco. A queda de ritmo e pouco controle fizeram com que o Vasco crescesse e enxergasse um horizonte.

TOMA LÁ, DÁ CÁ

Jogo foi muito disputado (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

O Vasco precisou de dois minutos para virar. Em ambas as chances, encontrou a zaga do Fla desprotegida - principalmente no primeiro gol, quando Rafinha e Rodrigo Caio estavam no ataque. No segundo, Yago Pikachu quebrou a proteção em linda jogada individual.

O clássico era equilibrado e bem disputado - por mais que o cenário, com um gol antes de um minuto completo, sugerisse uma supremacia do Fla. Antes do intervalo, para dar ainda mais emoção, Rafinha deixou tudo igual novamente em uma jogada de falta ensaiada. O roteiro só ficara mais rico.

VOLTA IMPORTANTE

Arrascaeta deu passe decisivo (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Para o segundo tempo, Mister não titubeou e acionou Arrascaeta no lugar de Reinier. O uruguaio retornou (não jogava desde o dia 3 de novembro), recuperado de uma lesão no joelho, e mostrou que está perto da forma ideal para a decisão da Libertadores (no dia 23).

Foi dos pés de Arracaeta o passe à feição para o gol de Bruno Henrique, o terceiro do Flamengo na partida. Ele entrou ocupando a meia esquerda, como de praxe, para explorar a aproximação com Filipe Luís e Bruno, principalmente.

O INCRÍVEL FATOR BRUNO HENRIQUE

Bruno chegou a 11 gols em clássicos pelo Fla (Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

Aliás, Bruno aproveitou que a parada estava encardida para ratificar o status de "mais decisivo" do futebol brasileiro. Se fez um primeiro tempo apagado, o camisa 27 bateu no peito e chamou os holofotes para si no segundo.

Em seu primeiro gol, arrancou do campo de defesa, esticou ao seu estilo e tabelou com Arrasceta. No segundo, letal, acertou um belo chute com a bola no ar, no que parecia o gol da vitória e o lance com a chave para ter mais uma noite perfeita clássico. Parecia...

NOVAS FALHAS E EMPATE

Flamengo e Vasco: jogo de oito gols (Foto: Alexandre Vidal/Flamengo)

Antes do primeiro gol de Bruno Henrique, Marcos Júnior foi à rede no início da etapa final, em novo vacilo de Marí - que tinha sido vencido com facilidade por Pikachu na inicial. O zagueiro fez um deslocamento à lateral e comprometeu o posicionamento dos demais companheiros (Rafinha e Rodrigo Caio também não estavam bem postados).

Luxa teve os seus méritos ao conseguir explorar os incomuns vacilos do Flamengo, que, em certos momentos, flertou - e até segurou nas mãos - da displicência. Certamente ficam lições importantes em prol da América, ainda mais que o Vasco voltou a deixar o placar empatado nos acréscimos, jogando um balde de água fria em 70% da torcida presente no Maraca. Mesmo assim, houve aplausos e gritos de "É campeão".

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade