0

Castan relata rotina em casa, pede paciência e elogia cartilha do Vasco

Zagueiro relembra antigo problema de saúde que o deixou longe do futebol por dois anos e detalha o que tem feito durante a quarentena

25 mar 2020
12h59
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um dia depois do fim da grave nas entrevistas, os jogadores do Vasco voltaram a falar. Em quarentena com a família por conta da pandemia do novo coronavírus, o zagueiro Leandro Castan conversou com o site oficial do clube e relatou a rotina de treinos em casa. O capitão vascaíno destacou também o tempo em casa com os filhos e a esposa.

Leandro Castan durante partida do Vasco (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
Leandro Castan durante partida do Vasco (Foto: Rafael Ribeiro/Vasco)
Foto: Lance!

- Está sendo um desafio grande, principalmente para minha esposa, que está tendo que ser professora, mãe, dona de casa e eu estou ajudando do jeito que posso. Estou tentando fazer algumas atividades com eles, jogando Uno, videogame, brincando na piscina. Tem sido legal, porque antes eu viajava bastante e eles na escola era difícil ter esse tipo de relacionamento. Agora, trancado em casa, temos que ver as coisas boas e esse ponto é positivo. Ficar mais perto da família - disse Castan.

O zagueiro pregou paciência de todos e recordou o problema de saúde que teve em 2014, quando descobriu que tinha um cavernoma, uma malformação vascular do sistema nervoso central - um tumor de três centímetros no cérebro. Ele voltou a jogar dois anos depois após passar por cirurgia.

- O momento é difícil. Acredito que o futebol vai ser retomado. Acho que agora é momento de pensar na saúde e de se cuidar. Temos que ter paciência. Nós temos que continuar trabalhando, pois nosso corpo é nosso instrumento de trabalho e é hora de ter muita paciência e sabedoria. Eu já passei por um momento muito difícil na minha carreira, que não sabia se ia voltar a jogar futebol, então acho que tenho um pouquinho de experiência sobre isso. É perseverar e continuar com muita fé que tudo vai voltar ao normal - afirmou.

Para o período sem jogos, o Vasco montou uma cartilha com orientações para os jogadores em todas as áreas. Castan elogiou a iniciativa e falou sobre a rotina em casa.

- Queria até parabenizar todo o departamento médico e a comissão técnica do Vasco que tem feito um grande trabalho neste momento, disponibilizando uma cartilha. Particularmente, eu tenho uma equipe por trás que me auxiliam nos treinamentos. Acho que esse conjunto vai fazer a gente chegar ao nosso objetivo que é manter a forma. Não se tem previsão e eu como atleta preciso estar sempre em forma. Não penso que treino só pra jogar. Treino pela minha saúde, ter meu corpo bem. Acho que como atleta profissional, esse é meu dever. Até depois também, acho que não vou conseguir parar de treinar, mas enquanto for atleta vou procurar manter o nível e um nível alto - completou.Veja outros trechos da entrevista:

Resenha com os jogadores

- Temos conversado mais por mensagem. Chamada de vídeo acho que falei só com o Fellipe Bastos até agora. Nós treinamos juntos e quase todo dia nos falamos por mensagem de vídeo. No nosso grupo do Vasco temos conversado quase que diariamente, principalmente sobre essa situação, nos atualizando. Estamos muito preocupados, então temos nos falado quase todo dia por mensagem, vídeo e tentando manter esse relacionamento estreito.

Mensagem para a torcida

A mensagem que deixo pra vocês é para que se cuidem, cuidem da família e que desse momento difícil vocês consigam tirar alguma coisa boa e fiquem com Deus. Com certeza, logo logo vamos estar de volta em São Januário com muitas vitórias.

O que vai fazer quando acabar a quarentena

Acho que a primeira coisa que vou fazer quando a quarentena acabar é agradecer a Deus pela oportunidade de voltar a trabalhar, sair de casa, pois é ele quem controla e permite todas as coisas e eu tenho comigo que ele é bom o tempo todo, mesmo nos momentos difíceis. Depois vou levar minha família pra passear. Comer fora de casa, pegar uma praia e aí voltar com tudo para honrar a camisa do Vascão.

Rotina

Tenho muita saudade. Desde o convívio diário com os funcionários do clube no CT, passando claro que pelos jogos, a torcida, São Januário lotado. Isso nos faz muita falta e não vejo a hora de voltar ao normal e poder voltar a ser tudo como era antes.

Situação na Itália

Tenho muitos amigos na Itália sim, principalmente em Roma, que é uma região que não foi muito afetada, mas estão todos na quarentena. É uma preocupação total. A gente fica triste por esse momento em que eles estão vivendo, principalmente no Norte da Itália, onde muitas pessoas morreram. O que eu posso passar é uma palavra de fé, de esperança e que vai dar tudo certo e que as coisas vão melhorar.

Veja também:

Os maiores artilheiros estrangeiros da história do Vasco
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade