0

Calazans celebra chance como titular e comenta concorrência na posição

Atacante atuou por 90 minutos pela primeira vez após a grave lesão que sofreu, mas mostrou confiança para seguir no time

21 jan 2019
14h02
atualizado às 14h02
  • separator
  • comentários

O ano de 2019 se iniciou com um sentimento de recomeço para o jovem Marcos Calazans. Depois de sofrer uma grave lesão, ele fez seu primeiro jogo completo pelo Fluminense no empate por 1 a 1 contra o Volta Redonda, no último sábado, pela Taça Guanabara. O atacante comemorou o retorno e falou sobre a oportunidade para meninos da base nessa primeira parte da temporada.

Calazans, durante entrevista coletiva (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC.)
Calazans, durante entrevista coletiva (Foto: MAILSON SANTANA/FLUMINENSE FC.)
Foto: Lance!

- Me senti bem, não senti nenhuma dor. Acredito que com o passar do tempo e das competições, assim como o time, vou evoluir e jogar por mais tempo. Se tem jogador da base jogando, tem merecimento. O importante é o time estar junto e empenhado, comprar a ideia do Diniz - disse.

- Sempre tem espaço para jogador de qualidade em campo. Nós que viemos da base, temos uma certa ansiedade em poder ajudar. A torcida e as pessoas aqui dentro nos apoiam muito, deixam mais a vontade. Quem estiver melhor vai jogar e precisamos buscar nossa posição - completou.A novidade para o Flu é o treinador Fernando Diniz, que assumiu o time depois da demissão de Marcelo Oliveira no penúltimo jogo da última temporada. Calazans elogiou o novo comandante e falou sobre a adaptação ao modelo de jogo que está sendo implantado no tricolor.

- Ele é muito inteligente, tem o seu estilo de jogo. Precisamos de um tempinho para poder encaixar. Não achei que o time foi mal contra o Volta Redonda, conseguimos manter a posse e trabalhar a bola. A gente ainda está pegando as orientações dele e movimentações, vamos melhorar - disse.

Calazans ganhou a chance como titular porque Yony González, que seria o titular, não foi regularizado a tempo da estreia. Nathan Ribeiro, Marlon, Luiz Fernando, Caio Henrique e Mateus Gonçalves também não puderam ser relacionados.

- Meu pai sempre fala que preciso estar preparado para tudo, independente da situação. Não consegui fazer o jogo que vinha fazendo antes da lesão, mas com os jogos e treinos vai melhorar. Com a tática do Diniz e o modelo de jogo dele, as coisas vão ficar mais fáceis e melhorar - finalizou.

Lance!

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade