2 eventos ao vivo

Brasil joga mal e fica sem o bronze na Liga das Nações masculina

Em Chicago, derrota para a Polônia por 3 a 0 na disputa pelo terceiro lugar

14 jul 2019
18h42
  • separator
  • 1
  • comentários

A Seleção Brasileira se despediu da Liga das Nações masculina de vôlei, neste domingo, com uma atuação para ser esquecida.

Comemoração polonesa em Chicago (FIVB Divulgação)
Comemoração polonesa em Chicago (FIVB Divulgação)
Foto: Lance!

Na disputa pela medalha de bronze, derrota para o time B da Polônia por incontestáveis 3 sets a 0, parciais de 25-17, 25-23 e 25-21.

Desde os primeiros lances, ficou claro que o Brasil estava nitidamente abatido em quadra. Um reflexo da virada sofrida na semifinal diante dos Estados Unidos. Compreensível?

Em parte. Logicamente a forma como a vaga na final escapou machuca, ninguém gosta de perder e foram menos de 17h entre um jogo e outro. Porém, um elenco experimentado não pode entrar para jogar uma disputa por medalha com uma rotação tão baixa. Semblantes carregados, nenhuma alegria, parecendo cumprir uma obrigação.

Tanto que o primeiro set foi um passeio polonês. O Brasil, com a mesma escalação da véspera (Cachopa, Wallace, Leal, Lucarelli, Lucão, Flávio e os líberos Thales e Maique) deu nove pontos em erros, o campeão olímpico Wallace não conseguiu pontuar no ataque, o passe voltou a oscilar... Nada funcionou.

O segundo set caminhava pelo mesmo caminho, com os poloneses abrindo 18 a 12. Neste momento, Renan Dal Zotto já havia trocado o levantador com Bruninho, os pontas Douglas Souza e Maurício Borges e o oposto Alan. Com um pouco mais de vibração, o time brasileiro lutou e chegou a virar para 23 a 22. Mas o melhor momento verde-amarelo no jogo parou aí, os erros voltaram a acontecer e a derrota foi confirmada, com Bednorz, o destaque até então, com 15 pontos.

Quem também teve chance na terceira parcial foi Éder, convocado para substituir o lesionado Maurício Souza. O bloqueio, mais uma vez, não conseguiu pontuar, tanto que os centrais Lucão e Flávio tinham apenas um ponto somado no fundamento até então. O Brasil até chegou a ficar na frente no início, mas levou a virada e voltou a demonstrar abatimento. E a Polônia, sem nada a ver com isso, fechou em 3 a 0.

Bednorz terminou a partida com 21 pontos. Pelo Brasil, Alan foi quem mais pontuou: oito.

Para o Pré-Olímpico, principal objetivo do ano, daqui a três semanas, o Brasil precisa juntar os cacos e mostrar muito mais vôlei para garantir a vaga em Tóquio.

Lance!
  • separator
  • 1
  • comentários
publicidade