0

Botafogo tem atuação irregular, mas faz o dever de casa contra o Avaí

Mesmo sem jogar bem, Alvinegro confirmou o favoritismo e venceu o Leão da Ilha, por 2 a 0, no Nilton Santos. Resultado tirou a equipe da zona de rebaixamento

11 nov 2019
22h31
atualizado às 22h58
  • separator
  • 0
  • comentários

O Botafogo não teve grande atuação mas conseguiu vencer o Avaí, por 2 a 0, na noite desta segunda-feira, no Nilton Santos, no encerramento da 32ª rodada do Campeonato Brasileiro. O resultado fez o Alvinegro deixar a zona de rebaixamento para assumir a 14ª posição, com 36 pontos.

Tabela
> Confira classificação e simulador do Brasileiro clicando aqui


A equipe comandada por Alberto Valentim abriu o placar com um gol contra do zagueiro Ricardo, aos 12 do primeiro tempo. Depois disso, recuou e viu o Avaí crescer na partida. O prejuízo só não foi maior graças a falta de qualidade do adversário, que teve a queda para Série B decretada com a derrota. No fim, Diego Souza, de pênalti garantiu a vitória. Confira a análise.

Vitória tira o Botafogo do Z4 e empurra o FLu para degolaVítor Silva/Botafogo
Vitória tira o Botafogo do Z4 e empurra o FLu para degolaVítor Silva/Botafogo
Foto: Lance!

RISCOS DESNECESSÁRIO

Vítor Silva/Botafogo

A partida começou equilibrada no Nilton Santos. Botafogo e Avaí faziam um jogo disputado nos minutos iniciais até que em um lançamento longo de Cícero, o zagueiro Ricardo cortou mal e marcou contra. Depois de abrir o placar, o Alvinegro recuou e passou a fazer a marcação no campo defensivo. Um risco desnecessário, diante de um rival com a fragilidade técnica evidente. Com um pouco mais de calma e capricho na última bola o Alvinegro poderia ter resolvido a partida no primeiro tempo. Em vez disso deixou a Avaí gostar do jogo. No segundo tempo a dinâmica se manteve a mesma e o prejuízo alvinegro só não foi maior graças a falta de qualidade do adversário.

ARTILHEIRO IRRECONHECÍVEL

Vítor Silva/Botafogo

O meia Alex Santana, artilheiro da equipe em 2019, com 10 gols, ainda não recuperou a melhor forma mal, depois de longa ausência por lesão no tornozelo esquerdo. No primeiro tempo, não teve uma boa atuação e quase comprometeu o time duas vezes, em erros na saída de bola. Nos minutos finais da primeira etapa recebeu a bola sozinho dentro da área, mas não soube o que fazer com ela, hesitou em finalizar e demorou a passar a bola. No segundo tempo, não conseguiu melhorar e deixou o campo vaiado pela torcida.

APOSTA CERTA

Vítor Silva/Botafogo

Novidade na escalação de Alberto Valentim, o atacante Rhuan mostrou ser uma aposta certeira do treinador. No primeiro tempo criou as melhores chances do Botafogo, em lances individuais pelo lado esquerdo e conseguiu cavar dois cartões amarelos para os rivais. O jovem de 19 anos também mostrou bom entrosamento com Yuri. Sua substituição por Lucas Campos, na segunda etapa gerou revolta na torcida e rendeu gritos de burro ao treinador.

IMPROVISO NA DIREITA

Vitor Silva/Botafogo

Do lado direito do campo, Rickson, improvisado como lateral, ficou mais preocupado com a marcação e em não permitir as investidas do Avaí. O time explorou pouco este lado do campo. A ausência de Marcinho foi sentida. O titular na posição fez falta nas bolas paradas e na criação das jogadas ofensivas do Glorioso.

MUDANÇAS ACERTADAS

Vítor Silva/Botafogo

O técnico Alberto Valentim apostou nas entradas de Lucas Campos, no lugar de Rhuan e de Diego Souza, na vaga de Alex Santana. Na primeira mexida, ouviu vaias das arquibancadas e na entrada do camisa 7 foi aplaudido por parte dos torcedores e contestado por outros. As substituições, ao final, se mostraram acertadas. Diego deu passe para Lucas Campos entrar na área e sofrer o pênalti. Na cobrança, o veterano teve frieza e experiência para converter e garantir a importante vitória alvinegra e o alívio momentâneo na tabela de classificação.

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade